terça-feira, 18 junho 2019
Início / Conteúdo / TRF4 nega recurso de Lula que pedia declaração de falsidade de provas – Primeiro Plano

TRF4 nega recurso de Lula que pedia declaração de falsidade de provas – Primeiro Plano

[ad_1]

A 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) negou provimento a um recurso criminal da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que pretendia obter declaração de falsidade de documentos apresentados pelo empresário Marcelo Odebrecht, ex-presidente do Grupo Odebrecht, no julgamento da Operação “Lava Jato”.

Conforme explica a nota do tribunal, “os documentos serviriam como prova para ação penal que investiga a prática de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro em que a Odebrecht teria pago, sistematicamente, vantagens indevidas a executivos da Petrobras e a agentes políticos, em contratos firmados com a estatal”.

Para o relator dos processos da “Lava Jato” no TRF4, desembargador João Pedro Gebran Neto, “não é possível extrair qualquer indicativo de falsidade material dos documentos impugnados pelo recorrente, impondo-se nesse sentido a manutenção da decisão que julgou improcedente o incidente de falsidade”.

A decisão do TRF4 confirma decisão da Justiça Federal do Paraná (JFPR), 13ª Vara, que já havia rejeitado pedido no mesmo sentido.

Leia mais:

Justiça determina retirada do ar de programa político de Fernando Pimentel

Ataques ao PT e propostas para economia são destaque em mais um debate entre os presidenciáveis

Ministros do STF devem analisar recurso contra condenação de Lula

[ad_2]
Click aqui e acesse o artigo original
https://www.hojeemdia.com.br/primeiro-plano/trf4-nega-recurso-de-lula-que-pedia-declara%C3%A7%C3%A3o-de-falsidade-de-provas-1.659053

Veja também...

Brasil continuará incomodando países concorrentes no agronegócio, diz ministra – Economia

[ad_1] A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse nesta segunda-feira, 11, em Não-me-Toque (RS), onde …

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.