segunda-feira, 21 outubro 2019
Início / Conteúdo / PSDB na Câmara minimiza declaração de Villas Bôas e PSOL diz que é 'inaceitável'

PSDB na Câmara minimiza declaração de Villas Bôas e PSOL diz que é 'inaceitável'

[ad_1]

Enquanto o plenário da Câmara dos Deputados se mantém vazio à espera da conclusão do julgamento do habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Supremo Tribunal Federal (STF), apenas duas bancadas se posicionaram publicamente sobre a manifestação do comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas. Para o PSOL, o comentário do general era digno de repúdio, mas para o PSDB a declaração era apenas a demonstração de “repúdio à impunidade”.

“Considero normal e não vejo insinuações ou tom de ameaça na declaração do comandante do Exército, Gen. Villas Boas. Ele tem o direito de se manifestar e defendeu o que os brasileiros de bem defendem: repúdio à impunidade, respeito à Constituição, à paz social e à democracia”, disse em nota Nilson Leitão (MT), líder dos tucanos na Câmara.

Para o deputado ruralista, as discussões no momento estão “acaloradas”, mas as instituições continuam funcionando. “O fundamental é que a decisão de hoje seja a favor do Brasil. Ninguém está acima da lei. Decisões radicais, em qualquer circunstância, só beneficiam os radicais”, finalizou Leitão.

Ontem à noite, o comandante do Exército manifestou, por meio do Twitter, o “repúdio” da Força à impunidade. “Asseguro à Nação que o Exército Brasileiro julga compartilhar o anseio de todos os cidadãos de bem de repúdio à impunidade e de respeito à Constituição, à paz social e à Democracia, bem como se mantém atento às suas missões institucionais.” Sem se referir diretamente ao julgamento do habeas corpus de Lula, o general continuou dizendo: “Nessa situação que vive o Brasil, resta perguntar às instituições e ao povo quem realmente está pensando no bem do País e das gerações futuras e quem está preocupado apenas com interesses pessoais?”.

Em nota com posição contrária a dos tucanos, o PSOL disse que o tom do general era “inaceitável” por sugerir veladamente que o Exército poderia agir a depender do resultado do julgamento de hoje. “Dessa forma, o general age como ‘indutor’ da violência entre os brasileiros, incentivando os mais desequilibrados a se insurgir contra a Constituição brasileira”, diz a mensagem da Executiva Nacional do partido.

A sigla ressalta que há um quadro de “escalada de violência política inédita desde a redemocratização”, cita a morte da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e diz que as declarações do general “só agravam esse cenário”. “Bandos de extrema-direita – incentivados por figuras do mundo político e agora das Forças Armadas – ameaçam as liberdades democráticas. O Brasil só vencerá a profunda crise em que se encontra com mais democracia e coibindo ameaças intolerantes e desequilibradas como as aqui mencionadas”, aponta o PSOL.

Alguns deputados se revezam em discursos ininterruptos na tribuna do plenário da Câmara. Embora 432 parlamentares tenham registrado presença na Casa hoje, só 10 deputados estão no plenário neste momento.

[ad_2]
Click aqui e acesse o artigo original
http://hojeemdia.com.br/primeiro-plano/pol%C3%ADtica/psdb-na-c%C3%A2mara-minimiza-declara%C3%A7%C3%A3o-de-villas-b%C3%B4as-e-psol-diz-que-%C3%A9-inaceit%C3%A1vel-1.610916

Veja também...

Brasil continuará incomodando países concorrentes no agronegócio, diz ministra – Economia

[ad_1] A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse nesta segunda-feira, 11, em Não-me-Toque (RS), onde …

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.