terça-feira, 12 novembro 2019
Início / Capa / Presidente do Conselho na Execução Penal fala sobre ameaças aos agentes penitenciários

Presidente do Conselho na Execução Penal fala sobre ameaças aos agentes penitenciários

Presidente do Conselho na Execução Penal fala sobre ameaças aos agentes penitenciários em Minas Gerais

Cristiano Martins, Presidente do Conselho na Execução Penal de Sete Lagoas. Foto de 2016 durante Audiência Pública sobre Unificação das Polícias na Câmara dos Vereadores.

O Presidente do Conselho na Execução Penal de Sete Lagoas, Cristiano Martins, comentou as ameaças direcionadas aos agentes penitenciários mineiros noticiados nas últimas semanas pela imprensa.

O Presidente do CONCEPE Sete Lagoas, respondeu perguntas do SETE LAGOAS S/A, sobre as ameaças sofridas por agentes penitenciários de Minas Gerais, conforme publicado no dia 31 de novembro no site SETE LAGOAS S/A (Secretário confirma que PCC pode estar por trás de ataque a presídio em Contagem), vejamos:

Entrevista com o Presidente do Conselho na Execução Penal de Sete Lagoas, Cristiano Martins:

SETE LAGOAS S/A: O que o Sr. pode dizer sobre essas ameaças direcionadas aos agentes prisionais nos últimos dias?

– CRISTIANO: Sou Presidente do CONCEPE – Conselho na Execução Penal da Comarca de Sete Lagoas, realizamos um trabalho de desenvolvimento de projetos em prol as instituições prisionais com ênfase na ressocialização dos acautelados. Por desenvolver essas atividades, observamos de perto a realidade do sistema prisional que de modo geral não andam bem.

Sobre o caso específico, tomei conhecimento pela imprensa. De acordo com o noticiário, um grupo criminoso teria determinado atos atentatórios contra agentes do sistema prisional de Minas Gerais – agentes do presídio Nelson Hungria em Contagem, acredito ter sido um fato isolado e que as causas estão sendo investigadas.

As polícias civil, militar e a própria inteligência do sistema prisional trabalharam rápido e conseguiram desvendar o caso. É claro que serve de alerta, mas deve-se destacar o bom trabalho das polícias. Deram resposta imediata, tanto para os agentes, quanto para a sociedade.

SETE LAGOAS S/A: Quais problemas o sistema prisional enfrenta atualmente?

– CRISTIANO: Como a maioria da população tem conhecimento, estamos vivendo a era do caos no sistema prisional. O Brasil não teve uma cultura ou até mesmo políticas de ressocialização criminal no país. Com isso, acarretou o sucateamento do sistema e agora vivemos o caos.

Muitos são os problemas, como: insuficiência de recursos para as unidades prisionais administrarem os presídios que acarretam em estruturas precárias, superlotação, sucateamento e até mesmo indisponibilidade de frota veicular para transporte dos presos e dos próprios agentes penitenciários, insuficiência de agentes, etc. A equação é péssima, muitos problemas e pouca vontade por parte do Estado em resolver.

Outro fato pouco difundido é a distância da sociedade com a realidade prisional, isso é péssimo! Os presídios viraram depósitos de seres humanos, ao invés de recuperá-los e devolvê-los melhores para a sociedade, acontece o inverso. Muitas vezes o presídio torna-se uma escola superior do crime. Um indivíduo entra na instituição prisional por ter cometido determinado delito e sai com informações e aprendizagem sofisticadas para serem aplicadas no crime fora do cárcere. O presídio na verdade para muitos é a porta de entrada para o mundo do crime. O prejuízo vai para a conta do cidadão de bem.

SETE LAGOAS S/A: O Sr. acredita que tem solução para diminuição desse caos no sistema prisional brasileiro?

– CRISTIANO: Devemos descontruir a ideia de que o sistema prisional não é problema nosso. A verdade é que o sistema prisional é tão importante, quanto saneamento básico, policiamento nas ruas, judiciário justo, saúde, educação, etc. Pobre da sociedade que não se despertar para isso. Os problemas de criminalidade não vão reduzir jamais.

SETE LAGOAS S/A: É apenas o problema das unidades prisionais mineiras ou o problema é geral?

– Cristiano: Infelizmente o problema é geral. Recentemente o programa Fantástico da Rede Globo, exibiu reportagem mostrando a precariedade do sistema prisional brasileiro. É muito grave a situação.   

SETE LAGOAS S/A: O que o cidadão de bem pode fazer para virar esse cenário?

– CRISTIANO: Primeiro se informar, atualmente a maioria das pessoas tem na palma da mão smartsphone que são ferramentas poderosas para a busca de informação. Acredito que o cidadão deva ler, assistir vídeos, filmes e documentários sobre a história do sistema prisional do Brasil.

Vou disponibilizar para os leitores, logo abaixo dessa entrevista o link de dois vídeos que mostram um pouco da realidade do cárcere do nosso país. Os cidadãos têm que se engajarem mais, cobrarem mais dos políticos resolução desses problemas, muitas vezes são eles que são os responsáveis. Discutir entre amigos e familiares, buscar informações se a sua cidade tem alguma entidade que trabalha com projetos sociais ligados ao sistema prisional. Após essa fase de informação e conhecimento o cidadão tem que se prontificar a contribuir de alguma forma.

Em Sete Lagoas por exemplo, nós temos o CONCEPE – Conselho na Execução Penal de Sete Lagoas, que como disse no início, realizamos um trabalho de desenvolvimento de projetos em prol das instituições prisionais, focado na ressocialização dos acautelados. Toda comunidade está convidada para conhecer e participar, basta acessar o site do CONCEPE: http://www.concepe.org.br e a página no Facebook: https://www.facebook.com/concepesl/.

CONCEPE – Conselho na Execução Penal da Comarca de Sete Lagoas/MG.

Veja também...

Clima de deserto; calor em Minas Gerais bate recorde

O tempo seco bate recorde em Belo Horizonte, o clima de deserto domina regiões do estado e o fantasma …

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.