quarta-feira, 13 novembro 2019
Início / Conteúdo / Operação no Rio busca prender 97 acusados de integrar milícia – Primeiro Plano

Operação no Rio busca prender 97 acusados de integrar milícia – Primeiro Plano

[ad_1]

Noventa e sete acusados de integrar uma das principais milícias do Rio de Janeiro são alvos de uma grande operação realizada nesta quinta-feira, (20) pelas Forças Armadas e pela Polícia Civil em 23 bairros da capital fluminense. De acordo com o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), que também participa da ação, o grupo controla várias comunidades da zona oeste da cidade do Rio e da Baixada Fluminense.

A milícia é, segundo o MPRJ, comandada por Wellington da Silva Braga, conhecido como Ecko. O grupo, que controla comunidades como as do Aço, Rodo e Antares de Três Pontes, na zona oeste, continua expandindo seus territórios pelo estado.

Entre os alvos estão suspeitos de trabalhar como auxiliares diretos de Ecko e integrantes do braço armado do grupo, que é responsável por extorquir comerciantes e moradores e por ameaçar vítimas e desafetos.

Segundo o MPRJ, o grupo cobra uma chamada “taxa de segurança” que moradores, ambulantes e comerciantes são obrigados a pagar sob risco de agressões e assassinatos. Além dos 97 mandados de prisão preventiva, também estão sendo cumpridos 296 de busca e apreensão.

Cerca de 200 policiais civis e 1.700 militares das Forças Armadas participam da ação.

Leia mais:

Secretário de Transportes de Osasco é assassinado a tiros na madrugada

Decisão de Marco Aurélio pode beneficiar 169 mil presos

 

[ad_2]
Click aqui e acesse o artigo original
https://www.hojeemdia.com.br/primeiro-plano/opera%C3%A7%C3%A3o-no-rio-busca-prender-97-acusados-de-integrar-mil%C3%ADcia-1.680703

Veja também...

Brasil continuará incomodando países concorrentes no agronegócio, diz ministra – Economia

[ad_1] A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse nesta segunda-feira, 11, em Não-me-Toque (RS), onde …

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.