quinta-feira, 21 novembro 2019
Início / Conteúdo / Netflix e o streaming de vídeo se consolidaram em 2018 – Almanaque

Netflix e o streaming de vídeo se consolidaram em 2018 – Almanaque

[ad_1]

Uma das questões que ficou ainda mais clara ao longo de 2018 foi a consolidação da Netflix no mercado brasileiro. Não por acaso, as séries produzidas pelo serviço de streaming figuraram entre os temas mais discutidos e, também, mais pesquisados no país. Prova disso são as pesquisas do Google. No ranking das 10 produções mais procuradas na plataforma, oito foram produzidas pela Netflix. 

O número de assinaturas da plataforma também reforça o reconhecimento da plataforma como um fenômeno. Mundialmente são 125 milhões e, no Brasil, levantamento da empresa de consultoria Ampere Analysis indica que a plataforma teria 10 milhões de assinantes no país – ultrapassando serviços de TV por assinatura. 

“Estamos trocando a TV tradicional pelo streaming e esse é um fenômeno não só brasileiro, como mundial. A cristalização desse hábito é um dos dados mais importantes que tiramos em 2018”, observa Alexis Parrot, jornalista especialista em séries. 

Para ele, alguns dos motivos da mudança de hábito estão relacionados à praticidade e à liberdade permitidas pelo serviço. “No momento em que vivemos, a questão da portabilidade é fundamental. Hoje em dia, o conceito de grade de programação não existe, é o próprio usuário quem escolhe quando quer assistir”, explica. 

Outros fatores estão somados na equação. “As produções demoram muito a estrear no Brasil. Se não é algo produzido pela Netflix ou Amazon Prime, não chega aqui”, diz ele, citando a série “The Handmaid’s Tale” como exemplo. Aclamada ao redor do mundo, ela chegou ao país apenas um ano e meio após a estreia nos Estados Unidos.

Além disso

O encerramento de “House of Cards”, um dos maiores sucessos da Netflix, também marcou o ano de 2018. Sem a presença do ator Kevin Spacey, demitido após denúncias de assédio sexual, o encerramento da trama ficou à cargo da atriz Robin Wright. Embora ela estivesse roubando a cena com a personagem Claire nas últimas temporadas, o desfecho da série dividiu opiniões. 

Para Renan Lelis, editor-chefe do Poltrona Nerd, apesar da dificuldade do contexto, a produção teve desfecho válido. “Quando uma série tem um final forçado, nunca é digno. Mas, no caso de ‘House of Cards’, o final fez valer a performance de Robin Wright, minha favorita da série”, afirma. 

Já para Alexis Parrot, o encerramento decepcionou. “A última temporada, sem o Kevin Spacey, mas com a presença dele pairando sobre tudo não funcionou. Ficou sofrível”, opina. 

Leia mais:

Temas atuais dominam séries em 2018; questão das minorias marcou presença

Will, de ‘Stranger Things’, manda recado e presente de Natal para Xuxa

Taylor Schilling fala sobre Piper em ‘Orange is The New Black’ e fim da série

[ad_2]
Click aqui e acesse o artigo original
https://www.hojeemdia.com.br/almanaque/netflix-e-o-streaming-de-v%C3%ADdeo-se-consolidaram-em-2018-1.681224

Veja também...

Brasil continuará incomodando países concorrentes no agronegócio, diz ministra – Economia

[ad_1] A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse nesta segunda-feira, 11, em Não-me-Toque (RS), onde …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.