sábado, 7 dezembro 2019
Início / Conteúdo / Mortos e desaparecidos: AO VIVO | Brumadinho: as últimas notícias sobre o rompimento de barragem da Vale | Brasil

Mortos e desaparecidos: AO VIVO | Brumadinho: as últimas notícias sobre o rompimento de barragem da Vale | Brasil

[ad_1]

Marina Novaes

Inhotim deve reabrir em 1º de fevereiro

O Instituto Inhotim, principal destino turístico de Brumadinho e um dos principais destinos dos visitantes que vão a Minas Gerais, informou em nota que só deve reabrir na sexta-feira, 1º de fevereiro. O museu de arte contemporânea a céu aberto (um dos maiores do mundo) não foi afetado pelo desastre causado pelo rompimento da barragem da Vale na Mina Feijão. Entretanto, fechou as portas em solidariedade aos afetados.

“Brumadinho é a casa do Inhotim e de tantas outras vidas e histórias”, disse Inhotim, em nota. “A Instituição está toda mobilizada para prestar assistência aos atingidos e aos nossos funcionários e funcionárias. Estamos em contato com os órgãos competentes para entender os impactos do desastre e traçarmos conjuntamente medidas para minimizar os danos”, informou o instituto, em nota.

Em abril de 2015, o EL PAÍS visitou Inhotim e contou como é o museu. Leia na reportagem de Antonio Jiménez Barca: http://cort.as/-EHhv

 

Beatriz Jucá

A cirurgia para retirada da bolsa de colostomia do presidente Jair Bolsonaro segue em andamento, segundo a Secretaria de Comunicação do Governo. O presidente foi encaminhado para o centro cirúrgico por volta das 6h30 da manhã desta segunda-feira. 

Regiane Oliveira

Chances de encontrar sobreviventes é pequena, segundo Corpo de Bombeiros

Com o passar dos dias do rompimento da barragem da Mina do córrego do Feijão, em Brumadinho, as chances de encontrar sobrevivente é muito pequena, segundo o porta-voz do Corpo de Bombeiros, tenente Pedro Aihara. “Como a tragédia envolve lama, que é um tipo de material que ocupa muito espaço, é diferente de quando a gente tem algum tipo de desabamento em que há bolsões de ar e é provável encontrar sobreviventes. Com a lama isso é muito difícil de acontecer. Mas ainda trabalhamos com todas as possibilidades, para garantir que essas pessoas retornem o mais rápido possível para as suas famílias. Entendemos a angústia das famílias, mas é uma área de busca de 10km e milhões de metros cúbicos de minério”, disse em coletiva de imprensa.

(por Heloísa Mendonça)

Regiane Oliveira

Ações da Vale caem quase 20%

As ações da mineradora Vale despencaram quase 20% na abertura do pregão em São Paulo, após o rompimento da barragem da companhia em Brumadinho, na sexta-feira passada. Em Nova York, os recibos de ações (ADRs) da empresa também caíram 16% na abertura do pregão.

Os papeis da Vale puxaram para baixo o Ibovespa, principal índice da Bolsa de São Paulo, que às 10h40 caía 1,84%, a 95.875 pontos.

Regiane Oliveira

Militares israelenses começam os trabalhos com esperança de encontrar sobreviventes

O chefe da missão de Israel, coronel Golan Vach, afirmou que o grupo de 130 militares médicos, engenheiros, bombeiros e técnicos do país passou a noite estudando a missão e já tem definidos os primeiros passos para ajudar no resgate da vítimas da barragem da Vale, em Brumadinho. “A primeira equipe já chegou ao rio e nossa missão será encontrar pessoas vivas”, afirmou. 

Para isso, os israelenses contam com tecnologia de radares capaz de identificar corpos a 3 ou 4 metros sob a terra. “Nossa primeira impressão é que os bombeiros estão fazendo um ótimo trabalho”, afirmou o coronel.

O governador Romeu Zema também manteve um discurso otimista. “Vejo que com a tecnologia deles vamos aumentar e muito a chance de encontrar novos sobreviventes e também de termos agilidade para encontrar vítimas. O que vai amenizar a angústia que as famílias têm passado”, afirmou

Zema pediu novamente que não sejam enviados donativos. “A situação está sob controle.”

Flávia Marreiro

Novo balanço em Brumadinho: número de mortos confirmados vai a 60

292 desaparecidos 382 localizados 192 resgatados 60 óbitos 19 corpos identificados

Informações chanceladas pela Defesa Civil,  Corpo de Bombeiros,  Polícia Militar e Policia Civil, informa a enviada especial a Brumadinho, Heloísa Mendonça.

Regiane Oliveira

“Executivos podem ser penalizados”, afirma Raquel Dodge

A procuradora-geral da República do Brasil, Raquel Dodge, afirmou hoje em São Paulo que “executivos [da Vale] podem ser penalizados” pela destruição causada pelo rompimento da barragem em Brumadinho, que já matou 58 pessoas e deixou 305 desaparecidos. “É preciso responsabilizar a empresa que deu causa a este desastre e também promover a persecução penal. A punição penal é muito importante.”

A prioridade será a responsabilização para pagamento de indenização às famílias. “As famílias estão muito preocupadas com seus entes queridos, das certeza do paradeiro de cada um. Mas é preciso que elas tenham algum tipo de socorro. Muitos perderam o modo de trabalho”.

Regiane Oliveira

Vale suspende pagamento de bônus a executivos

O Conselho de Administração  da Vale determinou a suspensão de pagamento de bônus para executivos bem como o pagamento de dividendos a acionistas. A empresa também criou um Comitê Independente para o “acompanhamento das providências destinadas à assistência às vítimas e à recuperação da área atingida pelo rompimento da barragem”.

Regiane Oliveira

Justiça bloqueia 11 bilhões de reais da Vale

Os juízes de plantão das comarcas de Belo Horizonte e Brumadinho acataram os pedidos do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) de bloqueio no valor de 11 bilhões de reais da mineradora Vale, e determinaram que a empresa adote as medidas necessárias para garantir a estabilidade da barragem VI do Complexo Mina do Córrego do Feijão, e se responsabilize pelo acolhimento e integral assistência às pessoas atingidas, dentre outras obrigações.

No sábado, a Justiça já tinha autorizado o bloqueio de 5 bilhões de reais para a reparação de danos ambientais. No mesmo dia, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais, em Belo Horizonte, determinou o bloqueio de R$ 1 bilhão da mineradora, que deve ser depositado em uma conta judicial. Os 5 bilhões restantes têm como objetivo garantir a reparação dos danos às pessoas atingidas pelo rompimento das barragens da Mina Córrego do Feijão, no município de Brumadinho.

Além disso, a Justiça de Minas determinou que mineradora faça uma série de ações para mitigar a tragédia causado pelo rompimento da Barragem, como se responsabilizar pelo acolhimento das vítimas e suas famílias.

Regiane Oliveira

Militares israelenses começam hoje trabalho de resgate

Um grupo de cerca de 130 militares médicos, engenheiros, bombeiros e técnicos de Israel começa a trabalhar nas primeiras horas desta segunda-feira, 28, nas operações de resgate na região de Brumadinho. Os israelenses trouxeram equipamentos para rastreamento, com capacidade de captação de imagens e detectores de vozes e ecos (com Agência Brasil).

Beatriz Jucá

A expectativa é de que a cirurgia de Jair Bolsonaro termine por volta das 9h30. Acompanha o presidente no hospital Albert Einstein a primeira dama Michelle Bolsonaro. Durante as primeiras 48 horas de recuperação, o vice Mourão assume a presidência. Em seguida, Bolsonaro deverá despachar do próprio hospital, onde já foi montada uma estrutura ao lado do quarto onde se internou ontem. 

Beatriz Jucá

A cirurgia para retirada da bolsa de colostomia do presidente Jair Bolsonaro começou por volta das 7h desta segunda-feira, no hospital Albert Einstein. O procedimento deve durar de duas a três horas. Esta é a terceira cirurgia à qual Bolsonaro é submetido desde que sofreu o atentado à faca enquanto fazia um ato de campanha em Juiz de Fora (MG), em setembro do ano passado. 

Gil Alessi

Encerramos agora nossa transmissão. Retornaremos na segunda-feira pela manhã. Boa noite.

Gil Alessi

Balanço atualizado: 58 mortos, 305 desaparecidos e 192 resgatados.  

Gil Alessi

A equipe isralense enviada para ajudar no desastre de Brumadinho deve chegar ao Brasil por volta das 22h, de acordo com o porta-voz da presidência. Além dos soldados para auxiliar nas buscas, o Governo de Netanyahu enviou cães farejadores e sonares capazes de localizar pessoas soterradas, capazes também de detectar sons debaixo da terra. No total são mais de 15 toneladas de equipamento.

Gil Alessi

Segundo o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, resultados de análises químicas do rio Paraopeba ficarão prontos até quarta-feira.

Gil Alessi

Moradores de Brumadinho observam as águas do rio Paraopeba turvadas pela lama da barragem que se rompeu. Foto: WASHINGTON ALVES. Agencia:REUTERS

Gil Alessi

“Bolsonaro retornou cansado de Brumadinho, mas pronto para enfrentar com serenidade e crença em deus a cirurgia que está por vir. (…) Ele está muito tranquilo, esperando o jogo do Palmeiras”, afirmou ou porta-voz da presidência da República. Segundo ele, Bolsonaro está recebendo boletins atualizados sobre a situação em Brumadinho.

Gil Alessi

O porta-voz da presidência da República afirmou que o retorno do presidente Jair Bolsonaro às suas atividades após a cirurgia deve demorar dez dias. No meio tempo, o general Mourão assumirá o comando do país.

Gil Alessi

Otavio Rêgo Barros, porta voz da presidência, deu declaração no fim da tarde deste domingo. “O presidente está muito animado. O êxito da cirurgia fará com que ele possa desempenhar suas atividades como presidente da rpublica da melhor maneira possível”. Ele também falou sobre a tragéida de Brumadinho: “Convem destacar o empenho do atual Governo estaudual de Minas Gerais tem apresentado”. Barros afirmou ainda que o auxílio israelense para o resgate de pessoas deve chegar ao Brasil às 22h.

Gil Alessi

Marina Silva (Rede) postou um vídeo falando sobre o desastre de Brumadinho, e defendeu uma política forte de licenciamento ambiental. “O rigor com relação aos processos de licenciamento não são para prejudicar a atividade econômica, e sim para proteger a vida”.

https://twitter.com/MarinaSilva/status/1089605932672262144

Gil Alessi

Em nota o hospital Albert Einstein confirmou a cirurgia de Bosonaro na segunda-feira. “O Excelentíssimo Presidente da República, Jair Bolsonaro, foi submetido à avaliação clínica préoperatória, exames laboratoriais e de imagem, com resultados normais. A cirurgia de reconstrução do trânsito intestinal está confirmada para amanhã (28/01)”.

Gil Alessi

O Ministério Público de Minas Gerais recomendou a elaboração de plano emergencial “diante dos danos ambientais, sociais e humanos imensuráveis para a região de Brumadinho”. Segundo o MP,  a Vale deve apresentar em “um prazo máximo de três horas” as diretrizes emergenciais. 

Gil Alessi

A Justiça de Minas gerais bloqueou até o moments 11 bilhões de reais para ressarcir “danos e perdas de forma geral”. Segundo os promotores Maria Alice Costa Teixeira, Marcelo Schirmer Albuquerque, Cláudia Spranger e Márcio Rogério de Oliveira, o destre provocou “evidentes e notórios os danos morais, psicológicos, emocionais, comunitários, de saúde e culturais”.

Gil Alessi

O presidente Jair Bolsonaro, que deu entrada neste domingo no hospital Albert Einstein, em São Paulo, publicou vídeo no qual fala sobre as ações de seu primeiro escalão para lidar com a tragédia de Brumadinho. O capitão será submetido amanhã a uma cirurgia para retirada da bolsa de colostomia.

https://twitter.com/jairbolsonaro/status/1089577826423136256

Gil Alessi

Circula em grupos de WhatsApp uma fake news segundo a qual agentes da Agência Brasileira de inteligência prenderam um cubano e um venezuelano por suspeita de terem explodido a barragem de Brumadinho. A informação não procede.

Regiane Oliveira

O Ministério Público do Trabalho (MPT) divulgou nota afirmando que vai avaliar eventuais falhas nas normas de segurança no trabalho em Brumadinho. “Essa tragédia demonstra a precariedade das condições de trabalho a que estão expostos os trabalhadores no Brasil e a imprescindibilidade dos órgãos de defesa dos direitos sociais”, afirmou em nota o procurador-geral do Trabalho, Ronaldo Curado Fleury. integra força-tarefa institucional criada na noite de sexta-feira e vai aproveitar a experiência da atuação no acidente de Mariana há três anos, também por rompimento de barragem de rejeitos de minério, no caso de Brumadinho.

Joana Oliveira

Joana Oliveira

As autoridades esclarecem que, de momento, as buscas por vítimas estão suspensas, já que todos os esforços estão voltados para evacuar a cidade de Brumadinho frente ao risco iminente de ruptura de outra barragem na região.

Joana Oliveira

A Policía Civil de Minas Gerais informa que a Vale está oferecendo “todo o subsídio necessário” para a investigação sobre as causas da tragédia.

Joana Oliveira

O delegado chefe da polícia civil de Minas Gerais informa que já atendeu 460 familiares de vítimas para realizar o cadastro de desaparecidos. 16 vítimas fatais já foram identificadas até o momento e oito corpos já foram entrgues às suas respectivas famílias para o sepultamento. 

O delegado salienta a dificuldade de indentificação das vítimas fatais, devido às características do acidente. “Muitos corpos estão dilacerados e, em alguns casos, só encontramos segmentos”, explica. 

 

Joana Oliveira

“Dentro da necessidade e apoiada pelo Ministério Público”, a Policía Militar “forçará” a retirada de pessoas em áreas de risco que se recusarem a abandonar esses locais”, ifrma o Major Santiago.

Joana Oliveira

Major Santiago, porta-voz da Policía Militar de Minas Gerais, afirma que a PM está fazendo patrulhamento aéreo para proteger o patrimônio material das vítimas. “Caso haja alguma enchente, protegeremos as vítimas e tentaremos preservar também seu patrimônio”.

O Major alerta também sobre o risco de notícias falsas circulando em redes sociais. “Tem muitas mensagens pedindo doações com contas falsas. É importante que aqueles que desejam contribuir utilizem apenas os canais estabelecidos pelas autoridades”, diz.

 

Joana Oliveira

A tragédia em Brumadinho afetará 24 mil pessoas, informam as autoridades.

Joana Oliveira

“Existe ainda possibilidade de encontrar pessoas com vida. Evidentemente, à medida em que o tempo vai passando, essa possibilidade diminui. Mas até achar o últipo corpo, o Corpo de Bombeiros trabalha com a propabilidade de encontrar as vítimas com vida”, diz o Tenente-Coronel Aihara.

Joana Oliveira

“Continuamos em nível 2 de risco (risco iminente) de rompimento da barragem. Evacuaremos três mil pessoas, no momento, não mais que isso”, afirma o Tenente-coronel Pedro Aihara, porta-voz do Corpo de Bombeiros em Brumadinho. “Havendo necessidade, essas pessoas serão realocadas, mas, de momento, estão reunidas em centros estratégicos até que possam voltar para suas casas”, explica.

Joana Oliveira

Flávio Godinho informa que não há alojamento suficiente para as pessoas desalojadas em Brumadinho, devido ao alerta de possível de ruptura da Barragem de número 6. Esses habitantes serão levadas a outros locais, explica o tenente-coronel da Defesa Civil.

Joana Oliveira

Corpo de Bombeiros informa que, de acordo com a Vale, 361 pessoas foram localizadas, 287 estão sem contato e 192 vítimas foram resgatas. O número de mortos é de 37 pessoas, informa o tenente-coronel Flávio Godinho, da Defesa Civil de Minas Gerais, em coletiva de imprensa em Brumadinho.

Regiane Oliveira

Governador de Minas Gerais recebe tropa militar israelense

O governador do Estado, Romeu Zema, recebe neste domingo, às 21h30, os 136 militares que estão vindos de Israel (30 mulheres e 106 homens) para ajudarem nas buscas e salvamentos dos atingidos pelo rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho. A missão, que vai ser chefiada pelo embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley, conta ainda com seis cães farejadores e 16 toneladas de equipamentos, incluindo radares terrestres. A previsão é que os trabalhos durem uma semana.

“Já nas primeiras horas da manhã de segunda-feira (28), o Governador levará os especialistas em salvamento em tragédias para fazer o reconhecimento da área atingida, planejar as capacidades para instalações dos equipamentos do exército israelense e dar início aos trabalhos”, informou o Governo do Estado em Nota. 

Joana Oliveira

Carla Jiménez

Informações oficiais de Israel dão conta da chegada da missão de 130 soldados israelenses por volta das 14 horas em Minas Gerais. A delegação conta também com oficiais em serivço obrigatório, com expertise em engenharia, médicos, pessoal de busca e resgate, além de bombeiros e soldados da Unidade de Mssões Submarinas da Marinha israelense. O embaixador de Israel no Brasil, Yossi Sheli, estará nesta delegação, liderada pelo comandante da reserva Golan Vach, da Unidade Nacional de Busca e Resgate de Israel. “Localizar e regatar pessoas desaparecidas é a principal necessidade que seurge na área de desastre no Brasil”, diz a nota oficial. Serão utilizados equipes com uso de meios avançados de localização celular, radares submarinos e drones, completa a nota.

 

Carla Jiménez

O presidente Jair Bolsonaro chegou ao Albert Einstein por volta das 10h30 desde domingo, informa a repórter Beatriz Jucá, que se encontra na porta do hospital. O presidente já está internado para se preparar para a cirurgia de retirada da bolsa de colostomia na manhã desta segunda-feira. Durante o dia, fará exames de sangue e de imagem para identificar se há alguma infecção ou abcessos. Diferente de quando o presidente esteve internado em setembro, logo após o atentado a faca, desta vez não há apoiadores nos arredores do hospital.

Carla Jiménez

O avião presidencial com o presidente Jair Bolsonaro acaba de pousar em São Paulo, onde deve se internar para a retirada da bolsa de colostomia, que ele precisou usar desde o atentado a faca que sofreu em setembro do ano passado. Bolsonaro vai se internar no hospital Albert Einstein. A operação, a terceira cirurgia desde o atentado, está marcada para esta segunda. Nesse período de internação, o vice-presidente, o general de reserva Hamilton Mourão, assume as funções do presidente.

Carla Jiménez

Em entrevista a jornalistas, o tenente Pedro Aihara, porta voz do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, confirmou que já são 37 o número de mortos confirmados pelo rompimento da barreira da mina de Feijão na sexta-feira. A ameaça de chuva deste domingo também dificulta novas buscas nos escombros da lama. Ele falou ainda do risco de rompimento de uma barragem de água. “As sirenes tocaram às 5h30 e começamos a operação de evacuação em áreas de riscos”, disse Aihara.

Joana Oliveira

Joana Oliveira

Joana Oliveira

Heloísa Mendonça

Sirenes soam em Brumadinho por risco de novo rompimento e moradores são evacuados

Por volta de 5h30 da manhã deste domingo foram acionadas sirenes em regiões de Brumadinho para indicar à população do risco eminente do rompimento de outra barragem, segundo informações do Corpo de Bombeiros. Equipes fazem neste momento a evacuação da comunidade próxima à barragem B6. Segundo o porta-voz da corporação, Pedro Aihara, a barragem possui água e fica próxima à barragem de rejeitos que rompeu nesta sexta-feira. Ela estaria sendo drenada deste ontem, para se evitar uma nova ruptura.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, apesar de a barragem ainda não ter sido rompida há o risco disso acontecer. O ponto de principal preocupação das equipes é a região do Parque da Cachoeira, onde existem cerca de 25 casas. Com o risco de rompimento de outra barragem, os trabalhos de busca pelas vítimas do desastre de sexta-feira estão temporariamente interrompidos.

Em nota, a Vale informa que acionou as sirenes de alerta na região da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), ao detectar aumento dos níveis de água nos instrumentos que monitoram a barragem VI. Esta barragem faz parte do complexo de Brumadinho. “As autoridades foram avisadas e, como medida preventiva, a comunidade da região está sendo deslocada para os pontos de encontro determinados previamente pelo Plano de Emergência. A Vale continuará monitorando a situação, juntamente com a Defesa Civil”.

Gil Alessi

Boa noite, retornaremos na manhã de domingo com mais informações sobre o desastre.

Gil Alessi

A informação oficial é de 34 mortos. O Governo havia informado 40, mas a informação foi corrigida.

Gil Alessi

Em boletim divulgado na noite deste sábado o Governo de MG atualizou o número de mortos da tragédia: “Até agora, foram resgatadas 366 pessoas, sendo 221 funcionários da Vale e 145 terceirizados, e destes 23 estão hospitalizados. O número de vítima fatais chega a 40, com 8 identificados. O trabalho de monitoramento da barragem B6 continua e as atividades de resgate foram suspensas às 20h e serão retomadas às 4h da madrugada.

Gil Alessi

O general Heleno afirmou que “é urgente que as barragens no Brasil inteiro que ofereçam maior risco sejam submetidas a uma nova vistoria”. Ele não deu prazo para isso. Heleno também falou em “mudar” o protocolo do licenciamento de barragens: “algo está falhando”.

Gil Alessi

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general Heleno, afirmou na noite deste sábado que “o número de desabrigados é pequeno, então essa não é a maior preocupação. A maior preocupação é a busca das vítimas”.

Gil Alessi

Gabinete de emergência da tragédia de Brumadinho cria email para cadastro de pessoas desaparecidas no Sistema Nacional de Localização e Identificação de Desaparecidos —-> sosbrumadinho@mpmg.mp.br

Gil Alessi

A Advocacia-Geral da União obteve na Justiça Federal de Minas Gerais decisão obrigando que “as operadoras de telefonia móvel forneçam dados sobre sinais dos aparelhos celulares de pessoas que estavam na região em que rompeu barragem da mineradora Vale no Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG). O objetivo é auxiliar as equipes de busca a localizar as cerca de 350 pessoas desaparecidas após o ocorrido”.

Gil Alessi

A Câmara de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural do MPF divulgou nota: “Há mais de três anos especialistas alertavam para o grave risco existente em inúmeras barragens do país, tanto em virtude da falta de gestão adequada quanto também de fiscalização eficiente”.Hay mensajes nuevos

Carla Jiménez

Já são 34 o número de vítimas do rompimento da barragem em Brumadinho, informa a repórter Heloísa Mendonça que se encontra no local. Segundo o Corpo de Bombeiros,  há ainda 81desabrigados e outros 23 encaminhados para hospitais. Os números de afetados pelo acidente na Vale estão mudando a todo momento, com a troca de informações entre as forças responsáveis pelo resgate e os familiares que estão buscando seus entes queridos. Por ora, somente a médica Marcelle Porto teve o nome divulgado na lista de vítimas fatais. A busca é por sobreviventes neste momento. Mas é fato que o acidente vai deixar sequelas na fauna e flora local. A Vale já foi multada em 250 milhões de reais pelo Ibama pelo acidente em Brumadinho e a Justiça autorizou o bloqueio de 5 bilhões de reais da mineradora.  Foto de Douglas Magno/AFP.

Gil Alessi

A médica da mineradora Vale Marcelle Porto Cangussu é a primeira vítima identificada do desastre de Brumadinho. A informação foi confirmada pela Polícia Civil à imprensa.

Gil Alessi

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, esteve em Brumadinho neste sábado e sinalizou que medidas devem ser tomadas contra a Vale. “Certamente há um culpado ou mais de um culpado (…) mas ainda e prematuro dizer quem são os responsáveis. Não queremos de modo algum interromper a economia dos municípios e os empregos, mas é peciso que as atividades empreendidas sejam com segurança”, afirmou. Ela disse ainda que ainda é cedo para determinar quais medidas o MPF deve tomar contra a mineradora: “Estamos analisando como agiremos. Mas precisamos primeiro garantir a identifciação de vitimas e resgate de sobreviventes”. Foto de Heloísa Mendonça

Joana Oliveira

Dique 100 abre serviço especial para atender atingidos pela tragédia de Brumadinho

O Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos abriu um canal especial para que os atingidos pelo rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho (MG), possam denunciar violação de direitos ou solicitar ajuda na busca de desaparecidos. De qualquer aparelho, celular ou fixo, o Disque 100 atenderá com prioridade as demandas relativas à tragédia.

O Disque 100 funciona diariamente, 24 horas por dia, incluindo sábados, domingos e feriados. As ligações podem ser feitas de todo o Brasil por meio de discagem gratuita, de qualquer terminal telefônico fixo ou móvel (celular), bastando discar 100.

 

Joana Oliveira

Ibama multa Vale em R$ 250 milhões por catástrofe em Brumadinho

“A mineradora Vale, responsável pela catástrofe socioambiental ocorrida na tarde de ontem em Brumadinho (MG), foi multada pelo Ibama neste sábado (26/01) em R$ 250 milhões. Os danos ao meio ambiente decorrentes do rompimento de barragens da mina Córrego do Feijão resultaram até o momento em cinco autos de infração no valor de R$ 50 milhões cada, o máximo previsto na Lei de Crimes Ambientais”, informa o Ibama em comunicado.

Joana Oliveira

Sobe para 11 o número de mortos confirmados em Brumadinho

Boletim divulgado pelas Forças Integradas de Segurança de Minas Gerais indica que há 11 mortos e 296 desaparecidos em Brumadinho. Das 176 pessoas encontradas com vida, 23 estão hospitalizadas. Confira a íntegra:

“Comunicado Rompimento da Barragem em Brumadinho – 15h10

Boletim, divulgado agora há pouco pelas Forças Integradas de Segurança de Minas Gerais, aponta os seguintes números de desaparecidos: 166 funcionários da Vale e 130 funcionários terceirizados continuam não localizados. O número de mortos subiu para 11. Das 176 pessoas encontradas com vida, 23 estão hospitalizadas.

As Forças também esclarecem que houve um alarme falso de rompimento de outra barragem. Funcionários da empresa realizam um bombeamento para drenagem desta barragem. A arrecadação de donativos foi interrompida, por falta de espaço para armazenamento, devido ao grande volume de doações. A próxima reunião das Forças Integradas de Segurança será às 18h.

Os familiares das vítimas devem buscar informações na Estação de Conhecimento, em Brumadinho, localizado ao lado da UPA da cidade. Em Belo Horizonte, no ginásio da Academia da Polícia Civil (avenida Oscar Negrão de Lima, 200 – Nova Gameleira) também está sendo feito atendimento e orientações sobre liberação de corpos.”

Regiane Oliveira

O que esperar do Governo

Os ministros de Minas e Energia, Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional falaram à imprensa sobre as medidas que o Governo Federal está fazendo para mitigar o desastre ambiental da Vale, em Brumadinho.

Bento Albuquerque, ministro de Minas e Energia, deu destaque a criação, em dezembro do ano passado, da Agência Nacional de Mineração (AMN), que ocupa o papel que executava o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), na regulação do setor. “Desde que ocorreu esse infeliz acidente, os técnicos da agência, bem como os técnicos da CPRM [Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais] estão trabalhando para apurar os fatos e contribuir naquilo que é mais importante no momento: mitigar o acidente, impedir que coisas semelhantes possam ocorrer e dar apoio às autoridades, principalmente à Defesa Civil, para que haja o monitoramento do avanço da lama e coleta de material para que saber da qualidade da água do rio Paraopebas”.

Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente, respondeu às críticas de que o Governo teria interesse em afrouxar a legislação ambiental. “Não há e nunca houve nenhum projeto de afrouxamento de fiscalização [ambiental]”, afirmou Salles.  O presidente Jair Bolsonaro já fez reiteradas críticas a uma suposta burocracia ligada à concessão de licenças ambientais e ao que chama de “indústria de multas”.  Salles reiterou que o que foi demonstrado hoje, através da atuação do Ibama, é que a fiscalização e atuação do órgão ambiental é rigorosa e rápida. “Nós precisamos ter foco na atuação. É preciso tirar questões simples e aprofundar nas de maior risco, para que as equipes possam se dedicar com mais afinco nas atividades com maior potencial, como as barragens”, afirmou. Para isso, uma mudança na legislação ambiental “não é só possível como necessária”, afirmou o ministro.

Gustavo Canuto, ministro do Desenvolvimento Regional afirmou que o destaque do Governo são as vítimas. “Vamos focar no que é importante. Essa tragédia é uma tragédia humana, estamos falando de 345 desaparecidos, só da Vale. Sete óbitos confirmados e dois prováveis. São 354 vidas. O importante agora é focar no resgate, no salvamento e na identificação dessas vítimas”, afirmou. Canuto também defendeu a simplificação de processos. “O Governo vai revisar os processos, simplificar. O objetivo é melhorar os procedimentos para evitar que uma tragédia humana como esta volte a acontecer”.

Joana Oliveira

Joana Oliveira

 Dor e impotência são dois sentimentos que afloram em Brumadinho, a pequena cidade mineira de 40.000 habitantes, que se desespera com a matemática mórbida de contar as vítimas do rompimento da barragem de Feijão, da mineradora Vale. Já há nove nomes confirmados de funcionários da empresa retirados sem vida dos escombros provocados pela lama, mas é seguro que esse número subirá. Ao longo do dia, entretanto, a esperança tomou conta com o anúncio de que algumas pessoas foram encontradas com vida, mas ainda não havia confirmação oficial. Os nomes ainda estão sendo levantados. Paulo Aniceto é um dos que esperam encontrar o filho. Ele espera informações sobre Everton Guilherme Gomes, de 20 anos, que desapareceu após o rompimento da barragem. Ele trabalhava na área de engenharia em uma terceirizada da Vale. O último contato com o filho foi através do WhatsApp às 12h18 de sexta-feira. Aniceto não sabe quantas vezes já olhou para a última mensagem que trocaram.

http://cort.as/-EEiP

Marina Novaes

Uma vaca atolada tenta sair da lama que soterrou Brumadinho, um dia após o rompimento da barragem. Tragédia ambiental ainda com danos incalculáveis também para o meio ambiente.

Foto: Douglas Magno/AFP

Joana Oliveira

86 famílias moram no entorno da barragem que rompeu em Brumadinho, de acordo com o cadastro realizado pela própria Vale. As autoridades responsáveis pelo resgate conseguiram fazer contato com apenas duas dessas famílias, informa Heloísa Mendonça.

A repórter, que encontra-se no local, também informa que o número de funcionários e terceirizados da Vale caiu de 345 para 296 desaparecidos.

Joana Oliveira

Joana Oliveira

Os bombeiros que atuam no local afirmam que as doações recebidas já são suficientes e que, no momento, não são necessárias novas contribuições, informa a repórter Heloísa Mendonça.

Joana Oliveira

Joana Oliveira

Regiane Oliveira

Jair Bolsonaro sobrevoa agora a região atingida pelo rompimento da barragem em Brumadinho (imagem: Secom/Planalto)

Regiane Oliveira

Presidente Jair Bolsonaro e equipe de Governo a caminho de Brumadinho (imagem: Secom/Planalto)

Marina Novaes

Foto de resgate viraliza, mas imagem é de tragédia anterior

A foto que está comovendo as redes foi tirada em 2011, segundo o jornal O Estado de Minas, quando um soldado do Corpo de Bombeiros resgatou um agricultor que ficou preso dentro de uma cisterna em Patos de Minas, na Região do Alto Paranaíba.

https://twitter.com/ma_novaes/status/1088951213759086592

EL PAÍS BRASIL

A nossa capa deste sábado. Leia a cobertura completa

EL PAÍS BRASIL

De novo a lama

Leia a reportagem:

Ainda sobram perguntas sobre o que aconteceu em Minas Gerais, mas o certo é que o acidente elevou a temperatura de um debate sobre a abordagem do Governo Bolsonaro para a gestão e proteção ambiental. O presidente brasileiro sempre demonstrou desdém pelo assunto e chegou a cogitar o fim do ministério do Meio Ambiente. Seu Governo já se mostrou favorável à intenção flexibilizar o licenciamento ambiental e dar mais autonomia às empresas para a gestão de projetos que demandem gestão de recursos naturais.

http://cort.as/-EDq8

EL PAÍS BRASIL

EL PAÍS BRASIL

Miraí, em 2007, Macacos, em 2001, Mariana, em 2015. E agora Brumadinho. Os rompimentos de barragens em Minas Gerais remontam a 1986, quando foi registrado o primeiro acidente desse tipo, e as consequências são, historicamente, as mesmas: assoreamento de córregos e rios, cidades destruída pela lama e vítimas fatais. O Estado conta com cerca de 450 barragens e pelo menos 22 delas não têm garantia de estabilidade

http://cort.as/-EDeN

EL PAÍS BRASIL

Rodolfo Borges

Segundo o Governo de Minas Gerais, “foram retiradas nove pessoas com vida da lama e cerca de 100 pessoas ilhadas foram resgatadas“. “Segundo dados transmitidos pelo representante da Vale ao governador mineiro, havia 427 pessoas no local, sendo que 279 foram resgatadas vivas. E são cerca de 150 pessoas desaparecidas, no momento, com vinculação à empresa. Bombeiros já solicitaram o nome dos desaparecidos à empresa”, diz o Governo em nota. 

EL PAÍS BRASIL

EL PAÍS BRASIL

O rompimento da barragem de resíduos da mineradora Vale S.A. em Brumadinho, Minas Gerais, trouxe uma triste sensação de déjà vu para os brasileiros. Em 5 de novembro de 2015 uma tragédia semelhante em Mariana, no mesmo Estado, deixou 19 mortos e um rastro de devastação no ecossistema e nas vilas da região. Três anos depois, vítimas de Mariana ainda esperam ter casas reconstruídas. http://cort.as/-EDX-

EL PAÍS BRASIL

Corpo de bombeiros fala de ao menos 200 desaparecidos. Veja as primeiras imagens do desastre de Brumadinho http://cort.as/-EDWC

EL PAÍS BRASIL

EL PAÍS BRASIL

Rodolfo Borges

Fábio Schwartsman, presidente da Vale, dá entrevista coletiva neste momento. “Enorme tragédia, nos pegou de surpresa, estou dilacerado com o que aconteceu”. Ele promete dar apoio às vítimas “desse terrível acidente”. “Esses acidentes são a coisa pior que uma pessoas pode ter na vida. A maiora dos atingidos são nossos próprios funcionários. Tínhamos no momento do acidente aproximadamente 300 funcionários próprios e de terceiros trabalhando [dos quais cerca de 200 seguem desaparecidos]. Não sabemos quantos foram acidentados, porque houve soterramento pelo produto vazado da barragem”. Segundo Schwartsman, a barragem não opera há mais de três anos, portanto ela não vinha recebendo rejeitos de mineração.

Afonso Benites

Bolsonaro mantém cirurgia para segunda e Mourão assume presidência por dois dias

Mesmo com o desastre de Brumadinho (MG), o presidente Jair Bolsonaro decidiu manter a realização da sua cirurgia prevista para a próxima segunda-feira. Ele passará por uma intervenção para a retirada da bolsa de colostomia que usa desde setembro do ano passado, quando foi esfaqueado em uma tentativa de assassinato na cidade de Juiz de Fora (MG).

Na manhã de domingo, Bolsonaro se deslocará para a capital paulista acompanhado do ministro Augusto Heleno (GSI) e de parte de seus assessores. Ele se internará no hospital Albert Einstein no mesmo dia, onde passará por exames e pelo pré-operatório. Às 6h de segunda-feira, se encaminha para a sala de cirurgia. Nesse momento, o vice-presidente, general Hamilton Mourão, assumirá a presidência.

Será a segunda vez que Mourão responderá oficialmente pelo cargo. Ele esteve na função de domingo a sexta-feira desta semana, enquanto Bolsonaro viajou para Davos, na Suíça, onde participou do Fórum Econômico Mundial.

A partir de quarta-feira, Bolsonaro voltará a despachar como presidente. Ele deve ficar internado por dez dias. Nesse período atenderá assessores e ministros na antessala do apartamento onde ficará no Albert Einstein. Pelo menos uma vez ao dia, um boletim médico deverá ser emitido para esclarecer qual é a situação de saúde do mandatário.

Rodolfo Borges

De acordo com o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, o rejeito que vazou da barragem da Mina Feijão atingiu o Rio Paraopeba às 15h50, informa a Agência Brasil. A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) informou que poderia alterar a forma de abastecimento de água da região metropolitana de Belo Horizonte, atendida pelo Sistema Paraopeba. A estatal, porém, assegurou que a população não seria prejudicada. “Caso seja necessário, o abastecimento da região atendida pelo Sistema Paraopeba, passará a ser realizado pelas represas do Rio Manso, Serra Azul, Várzea das Flores e pela captação a fio d’água do Rio das Velhas”, informou a Copasa por meio de nota.

Afonso Benites

Eis a íntegra do segundo pronunciamento do porta-voz da presidência, o general Otávio Rêgo Barros, sobre o desastre de Brumadinho: 

No prosseguimento das ações, desejamos atualizar a sociedade a respeito das ações que foram adotadas até o presente momento. – O Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Sales, está em deslocamento para a região do acidente e deverá orientar a abertura de um gabinete que centralizará as informações a respeito das atividades realizadas. – Estão em deslocamento equipes do Ibama, do Serviço Geológico do Brasil e da Agência Nacional de Mineração.  – O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, e o secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil chegam hoje à noite a Belo Horizonte para acompanhar e apoiar o trabalho das defesas civis locais, tendo como prioridade, neste momento, o socorro e assistência à população afetada. – Equipes do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres estão em permanente contato com representantes da prefeitura e governo do Estado para orientar nas primeiras ações de resgate às possíveis vítimas e demais necessidades emergenciais.

– A Agência Nacional de Águas realiza as seguintes atividades: 1. coordena ações para a manutenção do abastecimento das cidades que captam água ao longo do Rio Paraopeba. 2. Monitora a onda de rejeitos e estima que poderá ser amortecida na Barragem da Usina Hidrelétrica do Retiro Baixo, a 220 km do local do rompimento. – O Ministério da Defesa realiza as seguintes atividades: 1. Determinou que o Comando Militar do Leste, por meio da 4ª Região Militar, coordene das ações das Forças Armadas em apoio à Defesa Civil de Minas Gerais. 2. Disponibilizou três helicópteros de médio porte, equipados e com integrantes de cada Força Armada (Marinha, Exército e Aeronáutica), para atuar em operações de transporte, busca e resgate e permanecerão à disposição das operações na região atingida.  3. Analisa as imagens de satélite de alta resolução da área para fornecer dados sobre os impactos do acidente.

Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República (Secom/PR)

Afonso Benites

Em breve comunicado, Bolsonaro diz que irá sobrevoar a área do desastre ambiental no sábado. O objetivo é avaliar o tamanho dos danos para tentar minorar o sofrimento das vítimas. Segundo ele, militares sediados em Juiz de Fora já foram deslocados para Brumadinho. O presidente não informou se haverá ajuda financeira para o Governo local. 

Joana Oliveira

Barragem que rompeu em Brumadinho estava “devidamente licenciada”

A Secretaria do Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais, informa, em nota, que a barragem que rompeu em Brumadinho estava “devidamente licenciada”. Segue a íntegra do comunicado:

“A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) informa ter sido comunicada, às 13h37, por meio do gerente de segurança e emergências ambientais da Mineradora Vale S.A, sobre o rompimento da Barragem I de Contenção de Rejeitos da Mina  Feijão, localizada em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Equipes do Núcleo de Emergência Ambiental (NEA), da Semad, e técnicos da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) já se deslocaram para o local do acidente, para verificar a ocorrência e tomar as providências necessárias. O empreendimento, e também a barragem, estão devidamente licenciados, sendo que, em dezembro de 2018, obteve licença para o reaproveitamento dos rejeitos dispostos na barragem e para seu descomissionamento (encerramento de atividades). A barragem não recebia rejeitos desde 2014 e tinha estabilidade garantida pelo auditor, conforme laudo elaborado em agosto de 2018. As causas e responsabilidades pelo ocorrido serão apuradas pelo Governo de Minas”.

 

https://twitter.com/joanaoliv/status/1088888330908041219?ref_src=twsrc%5Etfw

Heloísa Mendonça

“Como vou dizer que a gente aprendeu com Mariana?”, diz presidente da Vale

O presidente da Vale, Fábio Schvartsman, afirmou ao jornal O Globo que o rompimento da barragem em Brumadinho deve ter deixado muitas vítimas e que a barragem de minério de ferro não estava ativa desde 2015, mas era considerada estável.

“Como vou dizer que a gente aprendeu (após o acidente de Mariana) se acaba de acontecer um acidente desses? O que posso dizer foi o que a gente fez depois do acidente. Viramos todas as barragens do avesso e contratamos as melhores auditorias do mundo para verificar o estado de todas elas. Fizemos tudo que a gente entende que era possível para garantir a segurança e a estabilidade. O fato é que não sabemos o que aconteceu e o que ocasionou, mas certamente vamos descobrir”, afirmou ao O Globo

Joana Oliveira

“Há 200 desaparecidos, só podemos esperar pelo melhor”, afirma o presidente, Jair Bolsonaro, em entrevista à TV Record.

Marina Novaes

Barragem que rompeu estava desativada há três anos: “Nós não sabemos o que aconteceu”

O presidente da Vale, Fabio Schvartsman, disse em entrevista coletiva no Rio de Janeiro, antes de embarcar com destino a Brumadinho, que a barragem que rompeu estava desativada desde 2015.

“Nós não sabemos a extensão ainda, não sabemos a causa. Mas o que eu quero dividir com vocês é o nosso profundo pesar pelo que aconteceu”, afirmou.

“A Vale como um todo vai se preocupar profundamente com as vítimas, para resgatar as pessoas, atender as pessoas. (…) Quero oferecer nossas mais profundas desculpas“, completou.

De acordo com Schvartsman, a barragem de minério de ferro pertencia à antiga Ferteco Mineração, mas não estava ativa desde 2015. Entretanto, o presidente da Vale afirmou que o último laudo realizado no local apontava que a barragem estava estável e que não indicava nenhum risco iminente. “A verdade é que nós não sabemos o que aconteceu”, disse.

Joana Oliveira

Barragem de Brumadinho tinha estrutura similar à de Mariana

Especialistas consultados pelo EL PAÍS explicam que a barragem de Brumadinho tinha a mesma estrutura da de Mariana: ambas eram barragens a montante, o modelo mais barato, construídas a partir da compactação de terra.

Essas barragens começam com a construção de um dique e um tapete drenante, que serve para eliminar a água armazenada no interior da estrutura. O aumento desse tipo de barragem, ou alteamento, como é chamado, é feito com o próprio rejeito em direção à barragem.

Outro tipo comum é a barragem à jusante, considerada mais segura, apesar de ser mais cara.Esta também começa com a construção de um dique e do tapete drenante, mas o alteamento é feito para o lado externo da barragem e não usa o próprio rejeito. Normalmente, se usa argila e pedregulhos, retirados de outro ponto da mina, para evitar filtrações e eventuais rupturas.

Afonso Benites

Ministério Público Federal diz que enviou representantes para acompanhar as apurações sobre a tragédia de Brumadinho. “É mais uma tragédia humana e ambiental que atinge o estado e que reforça a preocupação com problemas crônicos e graves em nosso país”, destacou em nota a procuradora-geral da República, Raquel Dodge. http://cort.as/-EDHw

Heloísa Mendonça

Onda de rejeitos deve ser amortecida por barragem de usina hidrelétrica

A Agência Nacional de Águas (ANA) afirmou, por meio de nota, que está monitorando a onda de rejeito da barragem de Brumadinho e coordenando ações para manutenção do abastecimento de água e sua qualidade para as cidades que captam água ao longo do rio Paraopeba.

A agência informou que a “onda de rejeitos” da barragem deve ser amortecida pela barragem da usina hidrelétrica de Retiro Baixo, localizada a 220 quilômetros do local do rompimento. Estima-se que essa onda atingirá a usina em cerca de dois dias. “A fiscalização da barragem rompida, de acumulação de rejeito de mineração, cabe à autoridade outorgante de direitos minerários”, explica a nota.

Afonso Benites

Bolsonaro se exime de responsabilidade por desastre em Brumadinho

Quando indagado na entrevista à rádio Regional FM se a União tem algum projeto relacionado à mineração, Bolsonaro disse que não quer culpar os outros pelo que está acontecendo. “Mas algo está sendo feito de errado ao longo dos tempos”.

Ele também se eximiu de culpa pelo desastre. “A questão da Vale do Rio Doce, não tem nada tem a ver com o Governo Federal. Apenas cabe a nós a fiscalização, por parte do Ibama e a buscar meios para se antecipar a problemas. Mas esses meios partem inicialmente da empresa, que executa a obra”.

Afonso Benites

Bolsonaro diz que tragédia poderia ter sido evitada

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse que o desabamento de uma barragem da Vale em Brumadinho (MG)  poderia ter sido evitada e que o desastre de Mariana, há três anos, deveria ter servido de alerta. “A gente lamenta profundamente o ocorrido. A gente sabe que acidente como esse pode ser evitado, sim”, afirmou ele em entrevista à rádio Regional FM, de Brumadinho. “Depois da de Mariana, a gente esperava que não tivesse uma outra, até por uma questão de servir de alerta aquela. Mas infelizmente temos esse problema agora”, acrescentou o presidente.

Conforme ele, representantes da Defesa Civil Nacional, e dos ministérios do Meio Ambiente e do Desenvolvimento Regional já se deslocaram para o local da catástrofe. O presidente deve se deslocar para a cidade na manhã de sábado. 

Marina Novaes

Ao menos 200 pessoas estão desaparecidas

O Corpo de Bombeiros de MG trabalha com a hipótese de ao menos 200 pessoas estarem desaparecidas após o rompimento da barragem da Vale na Mina Feiijão deixar soterrada por rejeitos boa parte da comunidade de Vila Ferteco, em Brumadinho, segundo a agência Reuters e o site de notícias G1.

https://twitter.com/ReutersBrasil/status/1088873008951975936

Marina Novaes

Inhotim anuncia fechamento por tempo indeterminado

O Instituto Inhotim, museu a céu aberto que é um dos principais destinos turísticos do Brasil, disse não ter sido atingido, mas evacuou a área por precaução. “Em solidariedade ao município e a todos os atingidos, o Inhotim não abrirá neste sábado e domingo (26 e 27/01/2019). Aguardamos mais informações para definir a data de reabertura”, disse o instituto, em nota.

https://twitter.com/inhotim/status/1088852457424338944

Afonso Benites

O Ministério do Turismo emitiu nota lamentando o desastre e informando que Inhotim também foi afetado pelo rompimento da barragem, ele Brumadinho. A pasta não detalhou o que teria ocorrido no local. http://cort.as/-ED7Z–-rompimento-barragem-brumadinho.html

Rodolfo Borges

A íntegra da nota do Palácio do Planalto sobre o rompimento da barragem:

“O Presidente da República lamenta as eventuais perdas de vidas ocasionadas pelo rompimento da barragem na cidade de Brumadinho em Minas Gerais.

Determinou o imediato estabelecimento de Gabinetes para acompanhar evolução da situação, tanto no Palácio do Planalto, quanto no Ministério do Meio Ambiente.

Os Ministérios de Minas e Energia, Meio Ambiente, Desenvolvimento Regional e Defesa foram acionados para integrar esforços Federais e Estaduais.

O Governo Federal permanece acompanhando a evolução da situação em condições de colaborar o Estado de Minas Gerais.

O Presidente da República deve se deslocar para a região no sábado (26), às 08h.

As assessorias de imprensa dos diversos Ministérios estarão em condições de apoiar as suas demandas dentro das especificidades de cada pasta.

As 18h será realizado novo pronunciamento.”

Joana Oliveira

Reação do Planalto

Otávio Santana do Rêgo Barros, porta-voz do Governo, afirma que o presidente da Repúiblica, Jair Bolsonaro, lamenta a “ocasional perda de vidas causada pelo rompimento da barragem em Brumadinho” e que foi criado um gabinete de crise no Palácio do Planalto e no Ministério do Meio Ambiente.

Bolsonaro se deslocará para Brumadinho, neste sábado, às 8h.

Marina Novaes

Mar de lama

As imagens da região lembram muito a tragédia de Mariana, que ocorreu em novembro de 2015 também envolvendo uma barragem da Vale. A repórter Heloísa Mendonça, que está a caminho de Brumadinho, recebeu imagens impressionantes do local, que circulam pelas redes: https://twitter.com/helomendonca/status/1088839320146972672

Marina Novaes

O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil de MG trabalham na busca por vítimas, mas ainda não há informações sobre números de feridos e possíveis mortes. Leia mais na reportagem a seguir: http://cort.as/-ED4u

 

Marina Novaes

Novo desastre ambiental atinge Minas Gerais

Boa tarde! Acompanhe ao vivo e em tempo real as últimas notícias sobre o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, região metropolitana de Belo Horizonte.



[ad_2]
Click aqui e acesse o artigo original
https://brasil.elpais.com/brasil/2019/01/28/politica/1548686617_570313.html#?ref=rss&format=simple&link=link

Veja também...

Brasil continuará incomodando países concorrentes no agronegócio, diz ministra – Economia

[ad_1] A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse nesta segunda-feira, 11, em Não-me-Toque (RS), onde …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.