sábado, 19 outubro 2019
Início / Conteúdo / Missa, homenagens e protestos marcam um mês da tragédia em Brumadinho – Horizontes

Missa, homenagens e protestos marcam um mês da tragédia em Brumadinho – Horizontes

[ad_1]

Missa, homenagens e protestos marcam um mês do rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho, na Grande BH, que deixou pelo menos 179 mortos e outros 131 desaparecidos. O primeiro ato acontece por volta de 12h na ponte sobre o rio Paraopeba. Líderes religiosos vão orar silenciosamente para vítimas e profissionais envolvidos nos resgates e buscas. 

No mesmo horário, o Movimento Atingidos por Barragem (MAB) se reúnem no Parque Cachoeira. Depois, seguem para o centro urbano do município, onde fazem ato no monumento no trevo de entrada às 14h. O protesto finaliza em BH, às 17h, em um cortejo que vai da Praça 7, na região central, até a Praça da Liberdade, na Centro-Sul.

Às 18h, o arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo, preside oração e bênção da pedra fundamental do memorial que será construído no centro da cidade. Depois, fiéis realizam procissão até à igreja São Sebastião, matriz de Brumadinho, onde 

uma missa será realizada pelo Núncio Apostólico no Brasil, dom Giovanni D’Aniello, às 19h30. Durante a celebração, o projeto do monumento será apresentado à população. 

Chamado de “Minas de Esperança”, o memorial será edificado na rua Alberto Cambraia, 140, onde funciona o Centro de Formação de Líderes do MAB. Com aproximadamente 20 metros de altura, o prédio terá seis sinos, que tocarão sempre às 12h28, hora em que a barragem se rompeu. Na base da estrutura estarão os nomes de todas as vítimas.  

Buscas

Quatro semanas após a tragédia, as buscas por vítimas continuam. Além dos 93 militares mineiros, 25 bombeiros de outros estados apoiam a operação, assim como seis cães farejadores. A previsão é de que 54 máquinas estejam em operação, entre escavadeiras, retroescavadeira e caminhões.

Neste momento em que a lama está mais firme, os trabalhos passam por revolver os rejeitos e identificar corpos e fragmentos. Neste 30º dia, são 14 frentes espalhas em variados pontos, como área administrativa (estacionamento, refeitório, vestiário), área de remanso (áreas de acúmulo de rejeitos), área da ITM.

No domingo (24), o grupo Movimento Águas e Serra de Casa Branca realizou um ato em memória das vítimas em frente ao Memorial da Vale, na Praça da Liberdade, região Centro-Sul de BH. Cruzes brancas foram pregadas no asfalto e violinistas tocaram músicas. 

Ambientalistas, artistas e moradores da região fizeram um minuto de silêncio, que foi seguido por gritos de palavras de ordem contra a empresa e mineração. Além disso, uma sirene ecoou, lembrando o sinal sonoro que não foi acionado no momento do rompimento da barragem. 

Leia mais:

Lojas fechadas e incertezas assombram comerciantes de Brumadinho

População de Brumadinho reclama do atendimento após desastre, que completa um mês; veja vídeo

Governo de Minas proíbe uso da água do Rio Paraopeba para quaisquer finalidades

[ad_2]
Click aqui e acesse o artigo original
https://www.hojeemdia.com.br/horizontes/missa-homenagens-e-protestos-marcam-um-m%C3%AAs-da-trag%C3%A9dia-em-brumadinho-1.696415

Veja também...

Brasil continuará incomodando países concorrentes no agronegócio, diz ministra – Economia

[ad_1] A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse nesta segunda-feira, 11, em Não-me-Toque (RS), onde …

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.