segunda-feira, 11 novembro 2019
Início / Conteúdo / Matéria de capa da revista britânica The Economist tece duras críticas a Jair Bolsonaro – Primeiro Plano

Matéria de capa da revista britânica The Economist tece duras críticas a Jair Bolsonaro – Primeiro Plano

[ad_1]

A matéria de capa da revista britânica The Economist desta semana tem sido replicada intensamente pelos brasileiros nesta quinta-feira (20). Isso porque o texto apresenta várias críticas ao candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro. A revista, de postura historicamente liberal, é categórica em dizer que o Brasil precisa de mudanças, mas o candidato não será o homem que irá realizá-las.

No artigo “Jair Bolsonaro, Latin America’s latest menace” (a mais recente ameaça na América Latina, em tradução livre), a revista afirma que hoje, no Brasil, a economia é um desastre, as finanças públicas estão pressionadas e a política está completamente podre, mas tudo pode piorar com a eleição do candidato do PSL.

O texto lembra que Bolsonaro construiu seu discurso se mostrando como um salvador para as pessoas que não querem mais políticos corruptos e traficantes de drogas no comando do país. Diz ainda que o candidato mistura, em suas propostas, conservadorismo social com a economia liberal. Trata ainda dos momentos mais polêmicos e conservadores da trajetória do deputado federal, como a menção ao nome do coronel Brilhante Ulstra (acusado de ter sido um dos maiores torturadores durante a ditadura militar brasileira) ao se posicionar a favor do impeachment de Dilma, em 2016.

Para o The Economist, o atentado contra Bolsonaro no início do mês, em Juiz de Fora, o deixou ainda mais popular, tanto que alcançou a marca de 28% da intenção de votos segundo uma pesquisa – o texto não cita qual. Para a revista, a facada “protegeu-o de um exame mais minucioso pela mídia e seus oponentes”.

Para a revista, há a possibilidade de uma vitória do candidato do PSL caso o oponente no segundo turno seja Fernando Haddad, do PT, pois “muitos eleitores da classe média e alta, que culpam Lula e o PT pelos problemas do Brasil, poderiam carregar Bolsonaro nos braços”.

Análise 

O texto vai além das críticas a Bolsonaro e faz uma análise sobre o caso brasileiro em relação ao crescimento dos populistas em todo o mundo, lembrando da vitória de Donald Trump, nos Estados Unidos, e de Matteo Salvini, na Itália. A revista diz ainda que o populismo de Bolsonaro, caso eleito, poderá ter um caminho ditatorial no estilo do ditador chileno Pinochet.

A reportagem entrou em contato com o assessor de imprensa de Jair Bolsonaro, mas ele não atende as ligações.

Leia mais:

PF pede prorrogação de inquérito sobre facada em Bolsonaro

Site que promete blusas de Bolsonaro e Lula rouba dados de 31,5 mil mineiros

 

[ad_2]
Click aqui e acesse o artigo original
https://www.hojeemdia.com.br/primeiro-plano/mat%C3%A9ria-de-capa-da-revista-brit%C3%A2nica-the-economist-tece-duras-cr%C3%ADticas-a-jair-bolsonaro-1.657463

Veja também...

Brasil continuará incomodando países concorrentes no agronegócio, diz ministra – Economia

[ad_1] A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse nesta segunda-feira, 11, em Não-me-Toque (RS), onde …

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.