domingo, 17 fevereiro 2019
Início / Conteúdo / Mais um ‘round’ perdido – Educação

Mais um ‘round’ perdido – Educação

A Câmara de Vereadores de Montes Claros rejeitou ontem o pedido dos professores da rede pública municipal para que fosse instaurada uma comissão para apurar possíveis irregularidades no pagamento da categoria. Em caso de confirmação das falhas denunciadas, o prefeito Humberto Souto poderia ser cassado.

Dos 23 vereadores, 15 votaram contra o pedido da categoria, cinco se abstiveram e apenas o vereador Oliveira Lêga (PPS) votou a favor do pedido. Foi registrada uma ausência e o presidente da Casa, Marcos Nem (PDS), não vota, de acordo com o regimento.

“A Comissão iria apurar se o prefeito cometeu ou não infração administrativa. Após ser lido o documento ele vai a votação. É um mecanismo legítimo, mas não houve aprovação. Eu penso diferente e votei favorável. É apenas um documento que pede uma apuração. Não teria nenhum problema para o prefeito. Pelo contrário, ele teria a oportunidade de explicar e assim dar total transparência ao processo”, diz Lêga.

O vereador Marlon Xavier (PTC) disse ser um crítico imparcial da administração, mas alegou que o conteúdo do documento estava confuso. “Eles querem receber ou querem que o prefeito seja cassado? Em nenhum momento estou contra os professores, mas a situação está em âmbito judicial e coisas diferentes devem ser tratadas de maneiras diferentes. A cassação não implica em pagamento dos professores”, justificou.

A vice-presidente do Sindi-Educamoc, Juliana Miranda, explicou que o documento traz argumentos que contrariam o que o prefeito vem divulgando em propagandas veiculadas em emissoras de TV.

“Nós pontuamos que ele vem fazendo asfalto até em cima de asfalto e diz que não tem dinheiro para nos pagar. A Justiça indeferiu o pedido para pagar com recurso do Fundeb de 2019, mas ele tem uma autorização do Tribunal de Contas desde o final de dezembro para remanejar recursos do Tesouro e nos pagar”, enfatizou.

A professora diz que a comissão deveria investigar outra situação ainda mais grave. “Tivemos a informação de que 80 pessoas teriam recebido os salários. O documento traz o nome de algumas delas. Pedimos que fosse investigado o motivo de eles receberem e qual a fonte. O serviço público não pode selecionar quem vai receber”, destacou Juliana.

A assessoria jurídica do prefeito foi procurada pela reportagem, mas não foi encontrada para falar sobre o assunto.


Click aqui e acesse o artigo original
https://onorte.net/educa%C3%A7%C3%A3o/mais-um-round-perdido-1.693554

Veja também...

Chuva arrasta carros, inunda casas e interdita trecho da Vilarinho; veja vídeos – Horizontes

O temporal que atingiu Belo Horizonte, na tarde deste domingo (17), provocou diversas ocorrências. Há …

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: