sábado, 16 novembro 2019
Início / Conteúdo / Impasse sobre tarifa de ônibus pode parar na Justiça; empresas pedem valor maior – Horizontes

Impasse sobre tarifa de ônibus pode parar na Justiça; empresas pedem valor maior – Horizontes

[ad_1]

Belo-horizontinos podem começar 2019 pagando ao menos R$ 4,50 pela passagem de ônibus. O reajuste de 11% foi sugerido pela prefeitura, nessa sexta-feira, às empresas. Porém, os consórcios que operam o transporte coletivo não aceitaram o valor. Nova rodada de negociações acontece na segunda-feira e, sem acordo, o impasse pode até parar na Justiça.

A proposta de aumento foi apresentada poucas horas depois de o prefeito Alexandre Kalil divulgar os dados da “caixa-preta” da BHTrans. A auditoria, realizada nos últimos oito meses, apontou que o preço deveria ser de R$ 6,35. O chefe do Executivo afirmou que a taxa é “impraticável”.

“Entendemos que esse valor é muito alto, mas temos que achar caminhos para não entrar simplesmente numa negociação unilateral”, disse o presidente do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros (SetraBH), Joel Jorge Paschoalin.

Segundo ele, o órgão já esperava que a auditoria apontasse diferença significativa entre a quantia praticada e a ideal. Custos, inflação e defasagem na tarifa nos últimos dois anos, quando não houve reajuste, pesam nos cálculos, frisou.

“Uso o cartão que a empresa fornece, mas pago para a minha filha ir à escola. Se a R$ 4,05 já gasto muito, se aumentar terei um esforço ainda maior” (Elizangela Sandra Angeli, de 42 anos, serviços gerais)

Cobradores

Na segunda-feira, o Hoje em Dia mostrou que várias linhas da capital circulam sem os cobradores em horários proibidos por lei. A infração já rendeu multas que somam R$ 5,8 milhões às concessionárias.

Questionados se a retirada dos trocadores não deveria impactar na redução do preço da passagem, a PBH informou que a auditoria leva em conta apenas as possíveis saídas dos agentes de bordo nos anos em que foi feito o levantamento – 2013 a 2016.

Mudanças ocorridas em 2017 e 2018 ainda estarão nas negociações. O presidente da BHTrans, Célio Bouzada, disse que as empresas terão que recontratar 500 cobradores e colocar em operação 300 veículos com ar-condicionado. O Setra descarta. 

“Com certeza não haverá novos investimentos, as empresas não têm capacidade financeira”, sustentou Joel Paschoalin.

“Terei que deixar de trabalhar em casas distantes, as que pagam melhor. A passagem sai do meu bolso. Impossível pagar R$ 10 por dia para trabalhar” (Rute Heloísa, de 45 anos, diarista)

Revisão das contas

A auditoria, promessa de campanha de Alexandre Kalil, analisou 104 mil documentos dos quatro consórcios de ônibus de BH. Para se chegar aos R$ 6,35, foram considerados a receita, os custos, os investimentos e os lucros líquidos.

Outro levantamento utilizando metodologia da Associação Nacional dos Transportes Públicos mostrou que o valor mínimo deveria ser de R$ 5 e máximo, R$ 5,61. 

O prefeito descartou a possibilidade de a PBH subsidiar parte da passagem. “Temos que escolher se vamos dar remédio ou passagem. Na minha gestão isso está fora de cogitação”.

O contrato com as empresas foi assinado em 2008 e é válido até 2028. Segundo Kalil, não foram encontradas irregularidades no acordo.

“Propõem um aumento, mas sem oferecer um serviço de qualidade. Dependendo de onde eu for, precisarei usar o metrô, já que a tarifa é menor” (Roberto Carlos Geraldo, de 22 anos, professor)

Leia mais:

Passagem dos coletivos em BH deveria custar R$ 6,35, diz auditoria

Tarifa Zero afirma que passagem de ônibus em BH deveria custar 15% menos

Multas aplicadas às empresas de ônibus de BH por falta de cobrador ultrapassam os R$ 5,8 mi

Kalil promete abrir ‘caixa-preta da BHTrans’ para a população na próxima semana

Ministério Público determina fiscalização de ônibus sem trocadores em BH

Editoria de Arte

Tarifa ônibus BH

[ad_2]
Click aqui e acesse o artigo original
https://www.hojeemdia.com.br/horizontes/impasse-sobre-tarifa-de-%C3%B4nibus-pode-parar-na-justi%C3%A7a-empresas-pedem-valor-maior-1.681247

Veja também...

Brasil continuará incomodando países concorrentes no agronegócio, diz ministra – Economia

[ad_1] A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse nesta segunda-feira, 11, em Não-me-Toque (RS), onde …

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.