segunda-feira, 21 outubro 2019
Início / Conteúdo / Foco na canção: Mostra Cantautores lança coletânea e mostra força como proposta cultural

Foco na canção: Mostra Cantautores lança coletânea e mostra força como proposta cultural

[ad_1]

Fotos Pablo Bernardo/Divulgação 

cantautores0

Jennifer Souza e Luiz Gabriel Lopes se aventuraram pela produção cultural para fazer acontecer o festival  

Tecer condições para que a escuta aconteça de maneira potente e transformadora, construindo uma cartografia da canção brasileira contemporânea. Esses são alguns dos principais nortes que orientaram a criação da Mostra Cantautores, evento que, desde 2011, tem jogado luz sobre a produção musical de cantores e compositores de diversos cantos do país. Braço complementar ao festival, a coletânea da Mostra age no sentido de formar um acervo fonográfico que organiza a pujança das apresentações. Com lançamento previsto para o dia 17 de abril, o próximo disco – que será disponibilizado gratuitamente na internet – traz gravações inéditas de nomes como Chico César, Zé Manoel, Alzira E e Vitor Ramil.

O cantor e compositor Luiz Gabriel Lopes, que organiza a Mostra Cantautores ao lado da também cantora e compositora Jennifer Souza, conta que as coletâneas surgiram logo na primeira edição do festival. “O acervo da Cantautores é muito rico. E a coletânea foi uma das maneiras que encontramos de escoar esse acervo”, afirma, ressaltando que apenas duas edições foram gravadas em estúdio, enquanto as outras são registros ao vivo. “As gravações ao vivo são um material ainda mais interessante, um registro histórico muito potente das performances do festival. E ainda recuperam um hábito de escutar discos ao vivo, que temos perdido nos últimos tempos”, completa.

Lopes conta que a sexta edição traz gravações inéditas de shows que aconteceram no festival em 2017. “Selecionamos uma faixa de cada um dos 12 artistas que passaram pelo festival na última edição. É um recorte desses momentos intensos da Cantautores, pensando numa narrativa para o disco”, conta. “As canções não são necessariamente inéditas, mas as gravações, sim. São versões que os artistas nunca lançaram antes, nesse formato”, completa. Entre as faixas, estão músicas como “O Mar”, de Zé Manoel; “Pour Le Chants Du Maloya”, da moçambicana Lenna Bahule; e a cortante interpretação de “Norte”, de Alzira E, parceria sua com Itamar Assumpção.

Pablo Bernardo/Divulgação 

cantautores1

O pernambucano Zé Manoel participa da coletânea da Mostra Cantautores com a música “O Mar”

O formato intimista é, inclusive, uma das molas propulsoras da intensidade das apresentações, na opinião de Lopes. “Os shows são sempre solo. O artista sozinho, cantando e tocando. É uma restrição que causa uma liberdade maluca e shows muitos intensos”, afirma o músico, lembrando participações como a de Déa Trancoso, que fez uma apresentação toda à capela, em 2016.

“A Mostra Cantautores trata a escuta enquanto instrumento espiritual, sensível, de transformação. E isso tem a ver com todo um gestual que vai além do repertório, do que dizem as músicas. O artista está ali inteiro e tem um conhecimento a transmitir. Então, acho que a ideia é trazer essa concepção da música como veículo de transmissão de conhecimento, de expansão do nosso espírito”, continua o músico. “Numa época de tanta polarização, em que as pessoas desaprenderam a escutar umas às outras, onde a dispersão reina em todos os ambientes e a gente tem sempre mil janelas abertas, é um exercício profundo focar a atenção num artista que está ali no palco, sozinho, desprovido de outros recursos”, reflete.

Um dos artistas que participaram do festival em 2017, Chico César louva a iniciativa. “Recebi um convite de Luiz Gabriel, para fazer uma cantoria, já há algum tempo. E assim se deu a minha participação. A partir daí, começamos a ter mais contato. Fico admirado, é um importante trabalho de agitação cultural”, afirma o paraibano. “É um festival onde os compositores aparecem, e as canções nascem com os compositores. A canção é uma riqueza do Brasil”, completa o artista, cuja faixa escolhida para a coletânea foi “Templo”, composição dele com Tata Fernandes e Milton de Biasi.

Mergulho na imensidão artística da canção brasileira

Luiz Gabriel Lopes conta que a Mostra Cantautores surgiu de um papo com Jennifer Souza em 2011, quando reclamavam da falta de espaços focados na fruição artística. “Já existia uma demanda em Belo Horizonte naquela época, um acúmulo de compositores que produziam coisas muito relevantes e não tinham um espaço simbólico, institucional e político para se apresentarem a um público interessado na obra, na letra, na música, sem estarem vinculados a um aparato de entretenimento”, afirma. “As opções que tinham eram naquele esquema boteco, música de fundo. E, por mais que você queira apresentar um repertório autoral, quando não há essa construção do ambiente, o público não acolhe”, reflete. 

Pablo Bernardo/Divulgação

cantautores2

Chico César, que participa da coletânea com a faixa “Templo”, ressalta a importância de valorizar a canção

Diante desse cenário, Lopes e Souza resolveram se aventurar pelo universo da produção cultural. “Somos artistas, não estamos originalmente no mundo da produção, mas percebemos que era importante tomar uma atitude. Tínhamos um diagnóstico e podíamos resolver com as próprias mãos”. O artista ainda explica que a curadoria da Mostra é guiada por um olhar atento para as diferentes formas de fazer canção. “Existe um interesse nas múltiplas facetas da produção, na vontade de estabelecer conexões, desvendar relações e discutir as obras dos autores”, diz Luiz Gabriel, revelando que a curadoria da próxima edição terá a participação de Tiganá Santana e Suzana Travassos.

Tal percepção a respeito da ambiência sonora e de sua relação com o músico se aplica na prática, como atesta Tim Bernardes, que participou da edição do evento em 2017. “O legal é que a primeira vez que eu apresentei músicas do meu disco solo foi em BH, no Cantautores”, revela. “Um festival bem voltado para essa ideia de um show focado na canção, onde cantei ‘Tanto Faz’ e ‘Recomeçar’”, completa Bernardes, que está na coletânea com a música “Eu Confesso”.

A sétima Mostra Cantautores acontece entre os dias 3 e 10 de novembro, com ações concentradas no Cine Theatro Brasil. Artistas interessados em participar poderão se inscrever entre os dias 23 de abril e 6 de maio, através de convocatórias divulgadas pelos canais oficiais da Mostra. 

[ad_2]
Click aqui e acesse o artigo original
http://hojeemdia.com.br/almanaque/foco-na-can%C3%A7%C3%A3o-mostra-cantautores-lan%C3%A7a-colet%C3%A2nea-e-mostra-for%C3%A7a-como-proposta-cultural-1.609693

Veja também...

Brasil continuará incomodando países concorrentes no agronegócio, diz ministra – Economia

[ad_1] A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse nesta segunda-feira, 11, em Não-me-Toque (RS), onde …

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.