segunda-feira, 21 outubro 2019
Início / Conteúdo / Cidades afetados pelo rompimento da barragem de Fundão vão receber 390 milhões do Governo de Minas

Cidades afetados pelo rompimento da barragem de Fundão vão receber 390 milhões do Governo de Minas

[ad_1]

O Governo de Minas Gerais  vai repassar R$ 390 milhões para as 32 cidades afetados pelo rompimento da barragem de Fundão, da Samarco, em Bento Rodrigues, na Região Central do Estado, em 2015. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (5) durante o Fórum Permanente de Prefeitos do Rio Doce. A verba, disponibilizada pelo Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) será usada em saneamento e destinação final de resíduos sólidos. 

Os recursos são da Fundação Renova, criada pela Vale e BHP Billiton, donas da Samarco, são parte do Termo de Transação e Ajustamento de Conduta (TTAC) assinado entre a União, os estados de Minas Gerais e Espírito Santo e as controladoras da Samarco. A previsão é que o dinheiro seja aplicado até o fim de 2018. Além dos municípios mineiros, quatro cidades capixabas receberão outros R$ 110 milhões, via Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes).

O secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Germano Vieira, que representou o governador Fernando Pimentel, destacou que o anuncio é extremamente importante porque a política ambiental também se faz com investimentos. “Despois do desastre, nós, do Estado, tínhamos um grande desafio: tutelar não só as medidas punitivas, feitas pelo Executivo e demais órgãos responsáveis, como também as iniciativas para recuperar a qualidade ambiental da Bacia do Rio Doce”. 

Para Germano, o convênio será fundamental para melhor a qualidade de vida desses municípios. “Eu acompanho de perto a aflição dos prefeitos que querem melhorar a qualidade da gestão de efluentes, tornando-as mais adequada, e também do tratamento de água. Estamos vendo o grande de desafio que é conquistar recursos para implantação e operação dessa infraestrutura, e o quanto isso será importante para os municípios”, complementou. 

Para Silvério Joaquim da Luz,  prefeito de Rio Doce, a iniciativa vai mudar a realidade dos 40 municípios da região. “Ao longo desses últimos anos, temos trabalhado na busca de soluções para resolver as questões decorrente do rompimento da barragem e a assinatura dos contratos possibilitará trabalharmos para o saneamento de toda região”, disse.

O deputado estadual e líder do governo na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Durval Ângelo, chamou atenção para a realização de medidas concretas que viabilizem a recuperação do Rio Doce. “Todos nós lamentamos o acontecido. Hoje, temos que trabalhar para que uma tragédia como essa não aconteça de novo. Medidas como essas, mitigadoras e reparadoras, ainda são pouco diante do grande desafio de valorizar o meio ambiente”.

O presidente do Conselho Consultivo da Fundação Renova, Wilson Brumer, reforçou  que ainda há muito a ser feito para recuperação de toda a região. “ Temos a humildade de reconhecer que muito tem a ser feito, dois anos e meio após o acidente, mas estamos empenhados em achar soluções conjuntas, que sejam acordadas entre todos nós”, ponderou.

*Com Agência Minas

Leia mais:

Fundação Renova é acusada de violar direitos de comunidades atingidas pela barragem de Fundão

Recuperação do Rio Doce vai além da reparação dos danos, diz Fundação Renova

Exames apontam intoxicação por níquel em onze moradores de Barra Longa

Recuperação da Bacia do Rio Doce custará bilhões, avalia presidente de comitê

 

 

[ad_2]
Click aqui e acesse o artigo original
http://hojeemdia.com.br/horizontes/cidades-afetados-pelo-rompimento-da-barragem-de-fund%C3%A3o-v%C3%A3o-receber-390-milh%C3%B5es-do-governo-de-minas-1.611357

Veja também...

Brasil continuará incomodando países concorrentes no agronegócio, diz ministra – Economia

[ad_1] A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse nesta segunda-feira, 11, em Não-me-Toque (RS), onde …

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.