segunda-feira, 21 outubro 2019
Início / Conteúdo / Alta do dólar tira 500X da lista de importações da Fiat – Primeiro Plano

Alta do dólar tira 500X da lista de importações da Fiat – Primeiro Plano

[ad_1]

De 1996 a 1998 a Fiat vivia um tempo de euforia. Tinha lançado o Palio e, na sequência, completou a família com Siena, Weekend e Strada, tudo num período de dois anos. Nesse ínterim, lançou Marea e Marea Weekend. O dólar baixo facilitava a importação de componentes, já que não se discutia índice de nacionalização de peças. E se preparava para lançar a dupla Brava e Bravo.

 

O primeiro foi fabricado em Betim, mas o segundo, que viria importado da Europa, morreu antes do nascimento. E a culpa foi do dólar, que em janeiro de 1999 dobrou de preço e tornou a importação proibitiva. Agora outro modelo se tornou vítima das verdinhas do Tio Sam, o 500X.

 

O jipinho que serviu de base para o Jeep Renegade, chegou ao mercado europeu em 2014, um ano antes do norte-americano. O modelo passou pela primeira atualização de estilo e estava nas planilhas dos executivos da filial brasileira. Afinal, a Fiat precisa de um jipinho com sua marca e não apenas um enteado com sotaque de Detroit.

 

Tanto que há um projeto de um SUV compacto para estrear até 2022, junto com um aventureiro e outro encorpado, da marca Jeep, e sete lugares, para que a FCA ocupe todos os flancos do segmento.

 

Prático

O 500X surgia como opção prática. Importado, não demandaria aportes milionários para adequar a linha de produção. E o melhor, sem a responsabilidade de vender milhares de unidades mensais, como Renegade e Compass.

 

Mas executivos não escondem que a escalada da moeda norte-americana colocou em xeque a viabilidade de sua chegada. Nos Estados Unidos, o 500X parte dos US$ 20 mil. Em reais, esse valor gira em torno de R$ 82.500, considerando a cotação atual da moeda norte-americana em torno dos R$ 4,20.

 

No entanto, com as tarifas de importação, seu preço mais que dobraria e ele desembarcaria bem acima dos R$ 160 mil, mais caro que o Compass.

 

“Apesar de ser um carro fantástico com motor turbo e tração integral, não teria como vendê-lo acima do Compass. O cenário ideal seria um dólar de até R$ 3, para que fosse possível posicioná-lo entre os compactos mais sofisticados”, revela um executivo da italiana.

 

Mecânica

A vinda do Fiat 500X para o Brasil colocaria o modelo numa prateleira superior à dos modelos compactos do mercado, como o próprio Renegade e rivais como HR-V, Kicks e Creta. Como é de praxe, viria em configuração mais sofisticada para fazer valer o peso da carga tributária que incide nos automóveis importados. É uma estratégia corriqueira no mercado. A Toyota vende no Brasil uma versão do Camry bem mais equipada que a vendida nos EUA, assim como a GM faz com o Chevrolet Cruze, que tem pacote bem mais farto em outros mercados, justamente para agregar valor.

 

Segundo nossa fonte, se realmente viesse a ser vendido, seria equipado com motor Multiair 1.3 turbo de 150 cv e 27 mkgf de torque, caixa automática de dupla embreagem e tração integral. Trata-se do mesmo motor que irá estrear por aqui em 2020 para aposentar o veterano 1.8 E-torq que hoje equipa Argo, Cronos, Renegade e Toro.

 

Entre os itens de série, pacote parelho ao dos primos da Jeep, com ar-condicionado eletrônico, direção elétrica, multimídia com conexão, além de assistentes de direção, faróis com luz diurna em LED e outros atrativos.

 

Lá fora

Na Europa, o 500X terá uma unidade três cilindros 1.0 turbo de 120 cv e 19 mkgf de torque, que é um primo anabolizado do Firefly 1.0 vendido por aqui no Mobi, Uno e nos irmãos compactos.

 

Lá, há ainda três opções turbodiesel da família Multijet II, que parte de uma versão 1.3 de 95 cv, uma 1.6 de 120 cv e 32 mkgf de torque, e uma opção 2.0 de 150 cv 37 mkgf, todas com opção de caixa manual de seis marchas ou dupla embreagem.

 

E o que chega aqui?

Se nos serve de consolo, a Fiat quer retomar as vendas do pequenino 500. Segundo executivos da marca italiana, há uma grande procura pelo carrinho, que estará no Salão de SP.

[ad_2]
Click aqui e acesse o artigo original
https://www.hojeemdia.com.br/primeiro-plano/alta-do-d%C3%B3lar-tira-500x-da-lista-de-importa%C3%A7%C3%B5es-da-fiat-1.657892

Veja também...

Brasil continuará incomodando países concorrentes no agronegócio, diz ministra – Economia

[ad_1] A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse nesta segunda-feira, 11, em Não-me-Toque (RS), onde …

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.