quarta-feira, 26 fevereiro 2020
Início / Conteúdo / Golpistas invadem o Facebook com páginas falsas de promoções para a Black Friday – Primeiro Plano

Golpistas invadem o Facebook com páginas falsas de promoções para a Black Friday – Primeiro Plano

[ad_1]

A Black Friday, que acontece nesta sexta-feira (23) e conquista cada vez mais consumidores em busca promoções, tem atraído também os golpistas. Somente na última semana, foram identificadas 234 páginas falsas no Facebook com foco na Black Friday utilizando indevidamente marcas de sete grandes varejistas:  Americanas, Walmart, Magazine Luiza, Casas Bahia, Mercado Livre, Ponto Frio e Submarino. Pelo menos 96 páginas foram criadas especificamente para a data, segundo o laboratório da PSafe, empresa especializada em cibersegurança responsável pelo levantamento. O objetivo dos fraudadores é roubar dados pessoais e de cartão de crédito dos usuários.

“O Facebook geralmente é usado pelos cibercriminosos porque a plataforma possui mecanismos que facilitam a identificação do público-alvo. Então ali é mais fácil encontrar pessoas que têm mais chance de serem vítimas”, afirma Emilio Simoni, diretor do laboratório da PSafe, lembrando a possibilidade de segmentação de campanhas nessa rede. 

A Delegacia de Crimes Cibernéticos da Polícia Civil de Minas Gerais não tem um levantamento específico sobre esses golpes, mas o delegado Magno Machado Nogueira acredita que possa haver um aumento de denúncias na semana após a Black Friday. O motivo, segundo ele, é que o consumidor muitas vezes percebe que caiu no golpe só após realizar a compra.

“Geralmente são promoções com preços muito atrativos, a pessoa acha que está fazendo um bom negócio e corre para comprar. Aí caiu no golpe. O consumidor tem que ligar o alerta diante de preços muito fora do mercado”, orienta o delegado. 

As 234 páginas falsas já somam mais de 15 mil curtidas. Entre os produtos mais ofertados estão o telefone celular e a televisão, além de outros eletrodométicos e eletrônicos. “As três marcas mais usadas (pelos golpistas) são Americanas, em primeiro lugar, Walmart e Magazine Luiza”, aponta o diretor do laboratório da PSafe. 

Para garantir a segurança das transações, o Facebook afirma que adota uma série de medidas e pede também ao usuário que denuncie qualquer indício de fraude. “Autenticidade é fundamental para o Facebook e não permitimos contas falsas ou pessoas tentando se passar por outras”, informou a rede social por meio de nota.

PSafe/Divulgação

Página falsaAmericanas.com foi a página mais falsificada na última semana, segundo a PSafe

Botão “Comprar Agora”

Um comportamento de risco identificado pelo levantamento da PSafe é que em 83 páginas falsas das 96 criadas para a Black Friday o botão “comprar agora” foi ativado. Quando o consumidor clica nesse ícone, ele é levado a um site falso que se passa pelo da marca fraudada no Facebook. Nesses sites, o usuário encontra produtos com grandes descontos e todo o layout do e-commerce é copiado fielmente para enganá-lo. 

A pessoa segue o fluxo de todo o processo de compra como se estivesse realmente adquirindo o produto e, para isso, é necessário incluir dados pessoais completos e de cartão de crédito. Ao final, recebe uma mensagem de que a compra foi concluída, incluindo o número do pedido. 

PSafe/Divulgação

Página FalsaNa página falsa, todo processo de compra segue normalmente como se a pessoa tivesse realizado a transação

Para não cair em armadilhas

A primeira orientação é evitar comprar por impulso. Segundo o diretor do laboratório da PSafe, é preciso dedicar tempo para checar itens de segurança. “O ideal é ter um antívirus atualizado, mas o consumidor deve ficar atento a outros detalhes como por exemplo o número de seguidores da página. Geralmente as grandes lojas têm mais de 2 milhões de seguidores. Desconfiar também se o telefone de contato é um celular. As grandes lojas oferecem um 0800 ou 4004. Os celulares geralmente são usados pelos fraudadores”, alerta.

Outra dica é checar se o link é verdadeiro ou não, o que pode ser feito pelo site www.psafe.com/dfndr-lab/pt-br.

O delegado Magno Machado Nogueira também orienta o consumidor a verificar se a página tem o cadeado de segurança no canto esquerdo no alto da tela, verificar também o endereço com “https”. A sigla em inglês htts (Hyper Text Transfer Protocol Secure) pode ser traduzida como “Protocolo de Transferência de Hipertexto Seguro. Ela aparece antes do endereço eletrônico do site que o usuário deseja acessar, garantindo que se trata de uma conexão de dados segura. “E é mais seguro usar cartão de crédito do que boleto bancário ou fazer a transferência bancária”, conclui o delegado.

Como identificar a fraude

O Facebook também reúne uma série de ferramentas para ajudar na identificação de empresas e promoções legítimas. Confira:

  1. Procure o selo azul: as páginas de grandes empresas normalmente são verificadas e contam com um selo azul depois do nome, embaixo da foto de perfil, no canto superior esquerdo da tela.
  2. Recomendações e avaliações: fique atento aos comentários nas publicações de empresas de menor porte, assim como à data de criação da página.
  3. Detalhes da página: você também pode verificar o histórico de páginas, que mostra se ela teve seu nome alterado ou se foi mesclada com outra. O Facebook não permite mudanças de nome de páginas que resultem em conexões falsas ou não intencionais e que alterem substancialmente o assunto das páginas. Basta clicar no “i” localizado no canto inferior direito da foto principal da página.
  4. Links externos: tenha atenção especial com páginas ou links que direcionam a um site externo ao Facebook ou então exigem algum tipo de compartilhamento para obtenção de um prêmio. Confira antes se o endereço externo é confiável.
  5. É bom demais pra ser verdade: sempre desconfie de ofertas com desconto muito alto. Se o produto ou serviço está com preços muito abaixo dos valores médios praticados no mercado, pode ser um indicativo de fraude.
  6. Reporte Spam: Se você encontrou algo que acha que é spam, siga algumas etapas e remova esse conteúdo.

Mas se o consumidor já caiu no golpe, a orientação é fazer contato com a operadora de cartão para tentar bloquear a compra, fazer o boletim de ocorrêcia em uma delegacia perto de casa e levar para polícia toda a documentação da compra, como os prints dos produtos, da transação e mensagens enviadas pela empresa. 

PSafe/Divulgação

Página FalsaAs páginas falsas são praticamente idênticas às oficias, mas alguns itens podem denunciar o golpista

A reportagem do Hoje em Dia procurou pelas empresas citadas. Confira o posicionamento de cada uma delas.

WALMART 

“O Walmart orienta que os consumidores se atentem a alguns indícios de fraude antes de acessarem ou concretizarem uma compra pelo e-commerce:

  1. Sempre verificar se a oferta é remetida à URL do site oficial da empresa www.walmart.com.br e se há erros ortográficos ou de concordância nos textos da página;
  2. Para anúncios de produtos nas redes sociais, confiar apenas nas páginas oficiais do Walmart www.walmart.com.br;
  3. Limitar a busca de ofertas a e-commerces bem avaliados por órgãos competentes e não confiar em e-mails e sites que enviem links e arquivos anexos suspeitos, ou que peçam informações pessoais;
  4. Utilizar senhas difíceis de serem descobertas, mas familiares o bastante para que não seja preciso salvá-las no computador;
  5. Desconfiar de preços muito abaixo da média do mercado;
  6. Em caso de suspeita de fraude, contatar a empresa pelos canais de comunicação ao consumidor para verificar se a oferta é verdadeira”.

CASAS BAHIA 

“A Casas Bahia informa que, sempre que toma conhecimento sobre casos de fraude por meio de páginas falsas, notifica as redes sociais e órgãos competentes para que essas páginas e sites sejam retirados do ar. A empresa orienta os clientes para realizarem compras apenas nos canais oficiais da marca, como no Facebook da loja, site da empresa e aplicativos”.

PONTO FRIO

“A Via Varejo (que representa o Ponto Frio) informa que, sempre que toma conhecimento sobre casos de fraude por meio de páginas falsas, notifica as redes sociais e órgãos competentes para que essas páginas e sites sejam retirados do ar. A empresa orienta os clientes para realizarem compras apenas nos canais oficiais da marca, como no Facebook da loja, site da empresa e aplicativos”. 

MERCADO LIVRE

“O Mercado Livre repudia o uso oportunista de sua marca por terceiros que visam fins ilícitos. A empresa esclarece que todas as ofertas da Black Friday 2018, assim como todas as demais que anuncia, são concentradas exclusivamente na plataforma www.mercadolivre.com.br  e no perfil oficial da marca no Instagram (@mercadolivre)”.  

MAGAZINE LUIZA

“O Magazine Luiza tem um serviço que faz a varredura da rede atrás de páginas e postagens usando indevidamente o nome da marca. Quando localizadas, essas postagens e páginas são derrubadas e, se o caso, a equipe jurídica da empresa aciona quem usou o nome da empresa indevidamente.”  

AMERICANAS 

“O cliente deve conferir, quando a promoção for veiculada na mídia social, se a página é realmente da marca. Para isso, basta, quando direcionado ao link do anúncio, verificar se o endereço do site é www.americanas.com ou www.americanas.com.br. Além disso, deve conferir o endereço do remetente do e-mail, quando receber a promoção por meio deste canal, para se certificar se foi encaminhado dos seguintes remetentes:

  • news@mkt.americanas.com,
  • ofertas@emkt.new.americanas.com.br,
  • news@mkt.af.americanas.com.br,
  • atendimento@americanas.com.br,
  • sac.atendimento@americanas.com,
  • sac.atendimento@mkt.americanas.com. 

Todas essas informações são encontradas na home do site”.  

SUBMARINO

Ainda não enviou resposta.

Com colaboração de Amanda Souza sob supervisão de Cássia Eponine

[ad_2]
Click aqui e acesse o artigo original
https://www.hojeemdia.com.br/primeiro-plano/golpistas-invadem-o-facebook-com-p%C3%A1ginas-falsas-de-promo%C3%A7%C3%B5es-para-a-black-friday-1.673666

Veja também...

Brasil continuará incomodando países concorrentes no agronegócio, diz ministra – Economia

[ad_1] A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse nesta segunda-feira, 11, em Não-me-Toque (RS), onde …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.